Imprensa livre e independente
14 de julho de 2018, 16h31

Facebook tirou do ar a página do Petro, que foi candidato à presidência da Colômbia, e depois da pressão devolveu

Horas depois, em função da pressão de vários militantes, a página foi restaurada. O Facebook diz que vai apurar o que aconteceu

O ex-prefeito de Bogotá e ex-guerrilheiro Gustavo Petro, que disputou o segundo turno na Colômbia contra o senador direitista Ívan Duque, teve o seu perfil do Facebook censurado. O anúncio foi feito pelo próprio Petro, nesta sexta-feira (13), em sua conta no Twitter. Facebook acaba de cerrarnos nuestra página con más de un millón cuatrocientos mil suscriptores Les solicitamos dirigirse a Facebook para que no se establezca está censura contra la oposición en Colombia Retransmitan por favor este mensaje. — Gustavo Petro (@petrogustavo) 14 de julho de 2018 “O Facebook acaba de fechar o nosso perfil com mais de um...

O ex-prefeito de Bogotá e ex-guerrilheiro Gustavo Petro, que disputou o segundo turno na Colômbia contra o senador direitista Ívan Duque, teve o seu perfil do Facebook censurado. O anúncio foi feito pelo próprio Petro, nesta sexta-feira (13), em sua conta no Twitter.

“O Facebook acaba de fechar o nosso perfil com mais de um milhão e quatrocentos mil assinantes. Pedimos a todos que solicitem ao Facebook para que retire este ato de censura contra a oposição na Colômbia. Por favor, retransmitam esta mensagem.”

Horas depois, Petro avisou que, “graças à ação de milhares de pessoas, o facebook restaurou o uso da minha página. Eles investigarão as causas que levaram ao fechamento da minha mídia mais importante. Eu agradeço ao facebook por sua diligência”.

Veja também:  Em lista de feitos do governo do pai, Carlos Bolsonaro cita projetos não implementados

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum