Imprensa livre e independente
04 de fevereiro de 2019, 07h22

Filho de ativista morta diz que mãe foi acusada de denunciar “rede de tráfico de crianças indígenas da Damares”

Sabrina Bittencourt teve a morte confirmada pelo grupo Vítimas Unidas, que entre outros casos denunciou os abusos sexuais do médium João de Deus. Em carta de despedida e em mensagens a amigos, ativista disse que vinha sendo perseguida

Reprodução/Facebook
Gabriel Baum, filho da ativista Sabrina Bittencourt, que se suicidou na noite de sábado (4) disse em texto em sua página no Facebook neste domingo (5) que a mãe foi acusada de denunciar também a “rede de tráfico de crianças indígenas da Damares (Alves, ministra da da Mulher, Família e Direitos Humanos)”. Sabrina teve a morte confirmada pelo grupo Vítimas Unidas, que entre outros casos denunciou os abusos sexuais do médium João de Deus. Em carta de despedida e em mensagens a amigos, ativista disse que vinha sendo perseguida. Leia a íntegra da carta de despedida de Sabrina Bittencourt Segundo...

Gabriel Baum, filho da ativista Sabrina Bittencourt, que se suicidou na noite de sábado (4) disse em texto em sua página no Facebook neste domingo (5) que a mãe foi acusada de denunciar também a “rede de tráfico de crianças indígenas da Damares (Alves, ministra da da Mulher, Família e Direitos Humanos)”. Sabrina teve a morte confirmada pelo grupo Vítimas Unidas, que entre outros casos denunciou os abusos sexuais do médium João de Deus. Em carta de despedida e em mensagens a amigos, ativista disse que vinha sendo perseguida.

Leia a íntegra da carta de despedida de Sabrina Bittencourt

Segundo Baum, que mora em Paris, a mãe, que foi convidada por Felipe Neto a gerenciar a carreira de MC Melody, mas teria sido impedida pelo advogado do pai da garota, que seria apoiador de Jair Bolsonaro (PSL).

“Os últimos 15 dias da minha mãe além de acolher vítimas foi ajudar a tirar das redes sociais, canais de YouTube pra adultos e sites pornôs todas as imagens da cantora Melody. Ela fez isso de graça, se fudeu defendendo a menina e a família na imprensa para no final o advogado do pai da Melody e Bella falar que ele era amigo do Bolsonaro e que era melhor minha mãe não cuidar da carreira delas porque ela tinha denunciado também a rede de tráfico de crianças indígenas da Damares (SIC)”.

Veja também:  Vaza Jato: Dallagnol e Moro combinaram de usar dinheiro da 13ª Vara de forma ilegal

Leia também: Citado em carta de Sabrina Bittencourt, Paulo Pavesi diz que pedirá à PF para investigar “suposto suicídio”

Em sua página no Twitter, Felipe Neto – que colocou a cor preta no perfil, em sinal de luto – se despediu da “amiga”.

“Sabrina Bittencourt organizou as denúncias de estupro e assédio contra João de Deus e expôs sua rede de tráfico de bebês. Morreu LUTANDO, o q significa q viverá p/ sempre! Capangas do João de Deus já estão orquestrando um ataque p/ destruir a imagem de Sabrina. Fiquem atentos”, tuitou.

Segundo Baum, o pai da Melody, dispensou a ajuda de Sabrina e de Felipe Neto e disse que a carreira delas estaria suspensa. “Minha mãe tentou defender esses pais da Damares transformar em briga contra os artistas pegando para “defender” uma criança como bandeira política. Ela sabe bem de que lado minha mãe estava: das crianças abusadas. O pai da Melody e Bella dispensou a ajuda da minha mãe e do Felipe Neto e disse que a carreira delas estaria suspensa”.

Veja também:  Terreiro de candomblé com mais de 50 anos é destruído no Rio de Janeiro

Ao final, Baum pede respeito, diz que vai viajar com o pai e os irmãos e disse que “cada um dá o que tem”.

“Cada um dá o que tem é minha mãe só deu amor e liberdade por onde andou. Podem compartilhar e enxugar suas lágrimas. Escutem VACA PROFANA com Caetano Veloso e Maria Gadu no último volume nos próximos três dias e ela estará com vocês dançando e incomodando todos os vizinhos. Minha mãe se transformou na sua música favorita”.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum