Imprensa livre e independente
04 de julho de 2019, 16h12

Filiada da Globo em Alagoas demite jornalistas após greve

Justiça do Trabalho deu parecer favorável aos grevistas, mas filiada da Globo em Alagoas, pertencente à família Collor, desrespeitou a decisão e demitiu jornalistas

Foto: Jonathan Lins/Sindjornal
Repórteres, editores e produtores de veículos de comunicação alagoanos cruzaram os braços por mais de uma semana. O grupo se recusou a aceitar a propostas das empresas em reduzir o salário dos funcionários em 40%. A justificativa dos patrões era que, com menores salários, seria possível contratar mais pessoas. A Justiça do Trabalho do estado deu parecer favorável ao movimento grevista. Ao retornarem ao seus postos de trabalho na manhã desta quinta-feira (15), jornalistas da TV Gazeta, afiliada da Globo em Alagoas e pertencente ao Grupo Arnon de Mello, da família Collor, no entanto, foram demitidos. O desligamento dos funcionários...

Repórteres, editores e produtores de veículos de comunicação alagoanos cruzaram os braços por mais de uma semana. O grupo se recusou a aceitar a propostas das empresas em reduzir o salário dos funcionários em 40%. A justificativa dos patrões era que, com menores salários, seria possível contratar mais pessoas. A Justiça do Trabalho do estado deu parecer favorável ao movimento grevista.

Ao retornarem ao seus postos de trabalho na manhã desta quinta-feira (15), jornalistas da TV Gazeta, afiliada da Globo em Alagoas e pertencente ao Grupo Arnon de Mello, da família Collor, no entanto, foram demitidos. O desligamento dos funcionários se deu antes mesmo do acordo entre o sindicato dos jornalistas e o TRT ter sido publicado no Diário Oficial do estado, o que garantiria estabilidade no emprego após a greve.

Os sindicalistas garantem que procurarão meios legais para reverter a decisão do grupo empresarial após a retaliação sofrida pelos grevistas. Funcionários TV Ponta Verde, afiliada do SBT, e TV Pajuçara, afiliada da Record, voltaram aos seus postos de trabalho sem nenhum tipo de penalização. Na retransmissora da Globo ainda há previsão que outros jornalistas sejam cortados.

Veja também:  Quadro do Fantástico, da Globo, ironiza Eduardo Bolsonaro em hit "papai, eu quero uma embaixada"

O Sindicato dos Jornalistas de Alagoas soltou uma nota repudiando a atitude da direção da TV Gazeta.

Confira abaixo.

“NOTA DO SINDJORNAL

Primeiramente o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Alagoas manifesta total e irrestrita solidariedade aos companheiros e companheiras que estão sofrendo, nas empresas, medidas retaliativas – demissões ou mudança de funções – que configuram perseguição e assédio moral, em decorrência de participação na justa greve – legalmente reconhecida pela Justiça do Trabalho – contra a tentativa de redução salarial por parte dos grandes grupos de comunicação do Estado.

Entendemos que tal comportamento configura ainda dano coletivo à categoria e à sociedade e prática antissindical, condutas estas que vão de encontro aos princípios constitucionais de direito de greve e organização sindical.

O Sindicato esclarece que até a publicação do Acórdão do julgamento do TRT, prevalecem os direitos de greve dos trabalhadores, e que, desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira, ao tomar conhecimento das ocorrências de demissões no grupo OAM, está atuando, junto aos seus advogados, com todas as providências jurídicas possíveis e adotando todas as articulações que o caso requer.

Ainda na tarde desta quinta-feira (às 15h) a diretoria do Sindjornal estará se reunindo com todos os profissionais demitidos, na sede do Sindicato, para as devidas orientações. Ao mesmo tempo, convoca toda a categoria para uma assembleia extraordinária, no Sindicato dos Bancários, às 19h30 desta quinta-feira, para os devidos informes e encaminhamentos necessários. Não esqueçamos: Nossa união é nossa força. Juntos somos fortes e vamos vencer mais essa batalha.

A DIRETORIA”

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum