Imprensa livre e independente
25 de outubro de 2018, 12h42

Fórum liga para jovem que espalhava fake news contra Haddad pelo WhatsApp

Ele alegou que seu objetivo era formar os grupos para depois “denunciar fake news”

Foto: Reprodução
A Fórum recebeu denúncias de Fake News que circulam em grupos de WhatsApp envolvendo o candidato Fernando Haddad (PT), entre elas a montagem de uma foto onde o candidato, na imagem original aparece com uma garrafa de bebida e na falsa com um objeto fálico. Entramos em contato com o autor de um dos envios, identificado como Felipe, que alegou ter 26 anos. Em conversa gravada pela reportagem (ouça abaixo), após ser advertido que estaria espalhando mentiras e isso era crime eleitoral, ele disse que faz parte desses grupos para “denunciar eleitores do Bolsonaro que espalham fake news”. Perguntado se...

A Fórum recebeu denúncias de Fake News que circulam em grupos de WhatsApp envolvendo o candidato Fernando Haddad (PT), entre elas a montagem de uma foto onde o candidato, na imagem original aparece com uma garrafa de bebida e na falsa com um objeto fálico. Entramos em contato com o autor de um dos envios, identificado como Felipe, que alegou ter 26 anos.

Em conversa gravada pela reportagem (ouça abaixo), após ser advertido que estaria espalhando mentiras e isso era crime eleitoral, ele disse que faz parte desses grupos para “denunciar eleitores do Bolsonaro que espalham fake news”. Perguntado se recebia alguma coisa para espalhar as mensagens, insistiu, irritado: “não estou recebendo porra nenhuma, cara, nem sou eleitor do Bolsonaro”, reagiu.

“Isto é um engano. Eu não sou a favor de Bolsonaro nem nada disso. Inclusive eu vou votar no Haddad porque eu não quero esse cara aí, esse cara é um idiota. O intuito do grupo, e eu sou o responsável pelos grupos, é reunir os eleitores do Bolsonaro que ficam compartilhando fake news. Eu posso até te mandar uns ‘prints’ se você quiser comprovando isso. Com isso a gente pretende denunciar os fake news depois”, disse

Veja também:  Boulos: Decisão de Toffoli mostra que Bolsonaro pode conseguir o que quer "sem precisar do cabo e do soldado"

Apesar de afirmar que pretendia “denunciar as fake news”, ele mesmo compartilhava as mensagens. Perguntado sobre isso, alegou que o grupo é só uma farsa, para atrair eleitores do Bolsonaro e era formado, em sua maioria, por eleitores do Haddad e do Ciro Gomes. “Mas, se você ver algum problema com isso, eu removo o grupo sem nenhum problema, tá? O grupo é só uma brincadeira entre nós mesmos, só espalhamos às pessoas conhecidas”, afirmou.

Perguntado pela reportagem como chegou até nós então, se não nos conhecemos, afirmou que “foi por meio de outros amigos que a gente conhece, cara. Eu infiltrei em outros grupos do Bolsonaro que estavam espalhando fake news, outros eleitores dele estavam compartilhando pra gente denunciar depois”, alegou.

Após algumas discussões sobre crimes eleitorais, Felipe se negou a dar o nome inteiro e disse que passaria à reportagem mensagens falsas que ele tem guardadas, que serviriam para fazer as denúncias. Assim que começou a passar algumas sem importância, alegou que muitas foram apagadas, pois estariam ocupando espaço no seu disco rígido.

Veja também:  Kim Kataguiri, do MBL, sai em defesa de Danilo Gentili por "patrulha politicamente incorreta da direita"

Perguntado ainda sobre quantos grupos administrava e quantas pessoas contavam cada um desses grupos, ele se irritou e disse que foi expulso da maioria deles, pois “não aguentei o que eles falavam. Eles acharam que eu era eleitor do PT e me expulsaram.

Todos os grupos que o Felipe passou para a reportagem foram cancelados, exceto um deles que até o encerramento desta reportagem, não havia compartilhado nenhuma fake news.

Ouça a conversa na íntegra abaixo:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum