Fórumcast #20
21 de dezembro de 2018, 17h58

Disco com canções de compositores santistas terá participação de Chico Buarque

O músico Marcos Canduta e o escritor Manoel Herzog compuseram a opereta “Canções de Amor Caiçara”. Além do Chico, participam Zeca Baleiro e Carlos Careqa, entre outros

Foto: Divulgação

Invariavelmente, nestas últimas colunas de dezembro, acabo fazendo um apanhado dos lançamentos do ano. E com muito menos variações ainda, sempre que o Chico Buarque lança um disco, acaba virando o dele o melhor de todos.

Desta vez, no entanto, tudo será diferente. Apesar do Chico ter lançado o seu lindo “Caravanas ao Vivo”, e ele bem merecer o troféu, o assunto será outro, também envolvendo o compositor. Trata-se de uma participação sua em um belo projeto, que ainda está em gestação, entrando – digamos assim – no seu nono mês, mas que já tem muito o que falar.

O nome da obra é “Canções de Amor Caiçara”, que a dupla de santistas – o músico Marcos Canduta e o escritor Manoel Herzog – resolveu inventar. Uma opereta feita a partir do encontro casual de um casal que se conhece na ponte rodoviária em direção à Baixada Santista. Um local, como insiste o texto de apresentação, que tem vocação para a visita episódica.

Manoel Herzog. Foto: Facebook

A partir daí as canções passeiam junto com os dois por locais da região como a Estação do Valongo, Engenho dos Erasmos, Morro do São Bento, Praia do Goes e, é claro, a Vila Belmiro, entre outros. E é exatamente aí que entra em campo o Chico, craque das canções e aficionado por futebol (ou vice e versa, como ele bem gosta).

Veja também:  Jornalista narra conversa com professora de Willian, sequestrador do ônibus na ponte Rio-Niterói

Chico faz o papel do santista roxo, ele fã incondicional de Pagão, lendário centroavante do alvinegro praiano, enquanto a moça, interpretada pela cantora Viviane Davoglio, fustiga com a frase: “Time do interior quase ninguém repara”. O samba é uma discussão de torcedores onde um argumenta com Robinho, Pita, Mengálvio, Juari e “não vamo nem falar de Pelé”. E ela devolve com “Ademir da Guia? Rivelino, Serginho Chulapa, Zé Sérgio, Raí”.

O álbum deve sair no primeiro semestre do ano que entra e promete. São dois artistas de grande talento. Tanto Canduta, autor de vários discos, compositor e exímio violonista, quanto Herzog, um grande escritor com várias publicações e elogios, entre eles um do próprio Chico, conseguiram fazer com que o nosso compositor maior olhasse serra abaixo e desse esse presentão a eles e à região.

Marcos Canduta. Foto: Facebook

Mas o melhor de tudo é que a coisa não ficou só por aí. O cantor e compositor maranhense Zeca Baleiro, este santista roxo de verdade, ao contrário do fluminense Chico, também está no disco. Ele interpreta a linda canção que abre a opereta, “Descendo a Serra”. Nela, o casal se aconchega no ônibus enquanto a chuva fina e a neblina correm na janela. A promessa é que uma hora “a solidão termina, E a gente desce se você quiser, Até o mar a pé, Passear até…”.

Veja também:  Divulgado o primeiro teaser do filme Marighella, de Wagner Moura; assista

Como se não bastasse isto tudo, o cantor e compositor Carlos Careqa também canta em duas das canções da opereta. Careqa é um talento extraordinário, com inúmeros discos gravados, uma longa atuação em publicidade, jingles e também na edição musical.

No fim, é isto. Desta vez terminamos o ano olhando em frente. Com o que vem de bom e promissor e, muito mais do que anunciado, está quase pronto. E quando chegar, comento por aqui.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum