Imprensa livre e independente
26 de janeiro de 2016, 15h45

França: trabalhadores de diversos setores realizam greves e protestos em todo o país

Taxistas, servidores públicos, funcionários de hospitais, controladores aéreos e professores fazem paralisação simultânea por melhores salários e condições

Taxistas, servidores públicos, funcionários de hospitais, controladores aéreos e professores fazem paralisação simultânea por melhores salários e condições Por Opera Mundi Teve início nesta terça-feira (26/01) em Paris uma série de greves simultâneas de taxistas, servidores públicos, funcionários hospitalares, controladores aéreos e professores por toda a França. A onda de protestos fez com que o jornal diário Le Parisien classificasse o dia como “terça-feira negra”. Cerca de 300 taxistas protestavam contra o Uber, serviço semelhante ao de táxi tradicional. Eles bloquearam uma das vias principais de Paris a atearam fogo a pneus. “Hoje nossa sobrevivência corre risco, estamos cansados de...

Taxistas, servidores públicos, funcionários de hospitais, controladores aéreos e professores fazem paralisação simultânea por melhores salários e condições

Por Opera Mundi

Teve início nesta terça-feira (26/01) em Paris uma série de greves simultâneas de taxistas, servidores públicos, funcionários hospitalares, controladores aéreos e professores por toda a França. A onda de protestos fez com que o jornal diário Le Parisien classificasse o dia como “terça-feira negra”.

Cerca de 300 taxistas protestavam contra o Uber, serviço semelhante ao de táxi tradicional. Eles bloquearam uma das vias principais de Paris a atearam fogo a pneus. “Hoje nossa sobrevivência corre risco, estamos cansados de reuniões e negociações”, disse à AFP a porta-voz do coletivo de táxis da França, Ibrahima Sylla.

A polícia foi chamada para desbloquear a via e acabou usando gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Segundo as autoridades, 19 pessoas foram presas.

Nos aeroportos de Orly e Charles de Gaulle, alguns voos foram cancelados devido à greve dos controladores aéreos, que protestavam por melhores salários.

De acordo com um porta-voz do aeroporto, os passageiros foram notificados dos cancelamentos antes da greve ter início pelas próprias linhas aéreas. A EasyJet, por exemplo, informou ter cancelado 35 voos domésticos e que iriam para ou vinham da Suiça, Itália e Espanha.

Veja também:  Paulo Pimenta e Wadih Damous vão denunciar novamente Dallagnol ao CNMP sobre lucro com palestras

A companhia Air France disse que todos os voos de longa duração (de seis a 12 horas) seguem a programação normal e que cerca de 80% dos voos de curta (menos de três horas) e média duração (de três a seis horas), domésticos ou internacionais, também continuam programados. No entanto, “cancelamentos e atrasos de última hora não podem ser descartados”, afirmou a empresa.

Paralelamente, quase 5,6 milhões de servidores públicos realizaram um protesto contra reformas trabalhistas propostas em setembro, que afetariam os salários.

Além disso, professoras do ensino infantil e fundamental também entraram em greve pedindo melhores salários em 51 escolas da cidade, segundo o Le Parisien.

Nos hospitais, trabalhadores protestavam contra a onda de demissões que atingiu o setor e reivindicavam mais postos de trabalho.

De acordo com os sindicatos em greve, foram mais de 120 manifestações em todo o país.

Foto:Grégoire Lannoy/Flickr

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum