Imprensa livre e independente
07 de janeiro de 2017, 12h07

Gasolina dispara na primeira semana de 2017

O preço médio da gasolina dispara na primeira semana de 2017. O litro chegou a R$ 3,762 e coloca mais um gato no telhado de Temer. Os dados são da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que monitora semanalmente os preços dos combustíveis no país.

O preço médio da gasolina dispara na primeira semana de 2017. O litro chegou a R$ 3,762 e coloca mais um gato no telhado de Temer. Os dados são da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que monitora semanalmente os preços dos combustíveis no país. Da Redação com informações do G1 O preço médio da gasolina dispara na primeira semana de 2017. O litro chegou a R$ 3,762 e coloca mais um gato no telhado de Temer. Os dados são da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que monitora semanalmente os preços dos combustíveis...

O preço médio da gasolina dispara na primeira semana de 2017. O litro chegou a R$ 3,762 e coloca mais um gato no telhado de Temer. Os dados são da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que monitora semanalmente os preços dos combustíveis no país.

Da Redação com informações do G1

O preço médio da gasolina dispara na primeira semana de 2017. O litro chegou a R$ 3,762 e coloca mais um gato no telhado de Temer. Os dados são da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que monitora semanalmente os preços dos combustíveis no país. O reajuste de preços foi registrado em 18 estados (veja relação abaixo).

A disparada começou a partir de dezembro do ano passado, quando a Petrobras aumentou o preço da gasolina nas refinarias. Apenas nas últimas quatro semanas, o valor do combustível subiu 1,92%. Em todo o ano de 2016, o preço da gasolina ficou abaixo da inflação. Na semana, a alta foi de 0,18%.

Diesel e etanol

O etanol registrou nesta semana a sua quinta alta consecutiva de preços, de acordo com o levantamento da ANP. O preço médio do litro do etanol no país atingiu R$ 2,863 o litro, alta de 0,67% em apenas uma semana. Em 2016, o etanol foi o combustível com maior alta de preços, um reajuste de 6,88% nos postos de combustível.

Veja também:  Janaina Paschoal critica Eduardo Bolsonaro por abandonar mandato e eleitores em troca de embaixada

Já o preço do diesel registrou uma leva queda na primeira semana do ano, interrompendo uma sequência de quatro semanas consecutivas de alta de preços, apontam os dados da ANP. O diesel, que encerrou 2016 com o maior valor registrado no ano (R$ 3,051/litro), atingiu um preço médio de R$ 3,046 na primeira semana de 2017.

Para chegar ao preço médio da gasolina, a ANP consultou 5.670 postos na semana. Para registrar o preço do etanol e do diesel, a agência procurou 5.107 e 3.557 postos de combustível, respectivamente.

Reajuste nas refinarias

Desde outubro a Petrobras pratica uma nova política de definição de preços dos combustíveis, com reuniões mensais para definir os valores da gasolina e do diesel cobrados nas refinarias. Na última reunião, realizada no dia 5, a Petrobras aumentou o preço do diesel e manteve o da gasolina.

Em dezembro, a Petrobras aumentou o preço do diesel e da gasolina. Nas reuniões anteriores, em outubro e novembro, a estatal reduziu os preços.

Variação por estado

Além de uma média nacional de preços, a ANP divulga semanalmente os valores praticados por Estado. Na semana encerrada no dia 6, o Acre foi estado com a gasolina mais cara, de R$ 4,231 o litro. Já a mais barata foi registrada em Pernambuco, uma média de R$ 3,552 por litro.

Veja também:  Bispo licenciado da Universal e Advogado-Geral da União entram na lista para ministro "terrivelmente evangélico" do STF

Veja a preço médio da gasolina por estado e sua variação em relação a semana anterior:

Acre
R$ 4,231, alta de 0,38%
Alagoas
R$ 3,733, queda de 0,35%
Amapá
R$ 3,825, alta de 4,08%
Amazonas
R$ 3,993, alta de 0,15%
Bahia
R$ 3,753, queda de 1,13%
Ceará
R$ 3,9800, queda de 0,18%
Distrito Federal
R$ 3,724, alta de 1,83%
Espírito Santo
R$ 3,740, queda de 1,01%
Goiás
R$ 3,903, sem variação
Maranhão
R$ 3,61, alta de 0,03%
Mato Grosso
R$ 3,782, alta de 0,50%
Mato Grosso do Sul
R$ 3,661, alta de 0,14%
Minas Gerais
R$ 3,827, alta de 0,31%
Pará
R$ 4,093, alta de 0,57%
Paraíba
R$ 3,613, queda de 1,12%
Paraná
R$ 3,694, alta de 0,76%
Pernambuco
R$ 3,552, queda de 1,47%
Piauí
R$ 3,642, alta de 0,69%
Rio de Janeiro
R$ 4,023, alta de 0,52%
Rio Grande do Norte
R$ 3,926, queda de 0,18%
Rio Grande do Sul
R$ 3,909, queda de 0,26%
Rondônia
R$ 3,971, alta de 0,05%
Roraima
R$ 3,884, alta de 0,18%
Santa Catarina
R$ 3,670, alta de 0,22%
São Paulo
R$ 3,605, alta de 0,31%
Sergipe
R$ 3,743, alta de 0,29%
Tocantins
R$ 3,838, alta de 2,18%

Veja também:  Igreja Católica pode pagar US$ 3 milhões a ex-coroinhas que teriam sido abusados por padre brasileiro

Você gosta da Fórum? Então apoie nosso projeto jornalístico e concorra a uma viagem pra Cuba em 2017.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum