Pária: Polícia italiana reprime com violência protesto contra Bolsonaro

Bombas de gás, jatos d’água, blindados e manifestantes presos. População vai às ruas no país europeu, que sediou reunião do G20, contra presença do presidente brasileiro

Foto: Correire Della Sera (Reprodução)
Escrito en GLOBAL el

A polícia italiana reprimiu com violência um protesto contra Jair Bolsonaro realizado em frente à Basílica de Santo Antônio, em Pádua, cidade que recebe a visita nesta segunda-feira (1°) do presidente brasileiro. Cerca de 600 manifestantes foram dispersados com jatos d’água, bombas de gás lacrimogênio e blindados. Há imagens de presos, mas as primeiras informações não confirmam em que número.

Foto: Corriere Della Sera (Reprodução)

O maior jornal da Itália, o Corriere Della Serra, manteve por vários minutos uma transmissão ao vivo em sua página mostrando uma confusão generalizada, com policiais que portavam escudos e cassetetes indo para cima de um número significativo de militantes, que eram contidos também por fortes jatos d’água e por algo que se presume ser fumaça de bombas. Ouvem-se gritos, num megafone, de "assassino", "fascista", "genocida" e "Fora Bolsonaro".

Protestos mais cedo em Anguillara

périplo de vexames de Jair Bolsonaro na terra da pizza teve mais um capítulo nesta manhã de segunda-feira (1°). O presidente brasileiro foi a Anguillara Veneta, a cidade natal de seus antepassados, na Itália, e lá foi recepcionado por grupos de manifestantes que protestavam contra sua presença. Alguns fanáticos seguidores, vestidos de verde e amarelo e aos berros de ‘mito’, também foram às ruas. Segundo fontes da imprensa local, somadas, eram aproximadamente 200 pessoas entoando palavras de ordem contra o líder extremista.

Carregando faixas, uma delas com a inscrição “Ao lado do povo brasileiro – Fora Bolsonaro”, e vestidos com camisetas nas quais se lia “Ele não é um exemplo a ser seguido”, os grupos contrários ao presidente radical permaneciam isolados por policiais e agentes de segurança que escoltavam a comitiva do chefe do Executivo nacional.

O diário italiano Il Gazzettino, com sede em Veneza, informa que uma série de protestos foi registrada em pontos diversos da pequena Anguillara Veneta, o que levou ao cancelamento da cerimônia de recepção organizada pela prefeita de direita Alessandra Buoso. Bolsonaro estava o tempo todo acompanhado do deputado ítalo-brasileiro Luis Roberto Lorenzato, da Liga, um partido de extrema direita do país peninsular.

Veja um vídeo do começo da repressão:

https://twitter.com/localteamtv/status/1455201603510804482