GUERRA ISRAEL-PALESTINA

Ualid Rabah: quem não entende conflito repete "as bobagens que fala esse Guga Chacra"

"Gaza é a única favela do mundo que pode desencadear uma guerra mundial e nuclear", afirma presidente da FEPAL; veja entrevista completa

Ualid Rabah, presidente da FEPAL, foi duro contra a grande imprensa e seu viés pró-IsraelCréditos: Reprodução/Sindicato dos Trabalhadores nas empresas de água, esgoto e saneamento de Maringá e região noroeste do Paraná
Escrito en GLOBAL el

O presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL), Ualid Rabah, concedeu uma forte entrevista ao programa Fórum Café nesta terça-feira (10).

O líder da organização foi enfático em sua defesa do povo palestino (e do seu direito de resistência) e foi enfático ao dizer que "Israel é um estado assassino".

Estima-se que mais de 5,5 mil palestinos foram mortos entre 2008 e 2020 e mais de 100 mil foram feridos no período. Em Israel, foram menos de 300 mortos e 5 mil feridos na mesma faixa de tempo.

Ualid também reforçou a importância deste conflito para o cenário global. "Gaza é a única favela do mundo que pode desencadear uma guerra mundial e nuclear. 73% dessa população é refugiada da limpeza étnica que ocorreu entre 1947 e 1951”, afirmou.

Propaganda de guerra

A FEPAL, presidida por Ualid, é uma das principais organizações no Brasil contra o apartheid ocorrido na Palestina. A entidade ganhou repercussão por exigir à GloboNews o direito de resposta nos programas da emissora, afinal, representações árabes e palestinas não tiveram espaço durante as primeiras horas de cobertura dos ataques do Hamas contra o colonialismo israelense.

Para Rabah, é justamente na questão da desinformação que jaz o problema do conflito entre Israel e Palestina: os veículos de imprensa fazem parte do que ele chama de "propaganda de guerra".

“A propaganda de guerra atualmente que os grandes veículos propagam, que nem no nazismo houve. Nós estamos diante da execução da solução final que Israel sempre quis e continua querendo”, continua Ualid. A solução final, segundo ele, é o completo extermínio da Palestina, como demonstrado por Netanyahu na ONU.

Ele também criticou a comoção pela rave israelense e relembrou que, desde a declaração de Darfour, de 1917, árabes são mortos pelos israelenses. Ele criticou o comentarista político Guga Chacra por falar que os frequentantes das raves são pessoas como nós, e questionou o porquê de ele não afirmar o mesmo dos mortos em Gaza. 

Ualid afirma que os erros analíticos dos comentaristas políticos da Globo e dos outros veículos da grande imprensa partem de 

“Ninguém se engane. Nesse momento, no Oriente Médio, está em embate o fim definitivo da OTAN, da hegemonia do dólar, dos EUA, do G7, do colonialismo de 200 anos atrás. Quem não compreender isso, vai ficar falando as bobagens que fala esse Guga Chacra aqui no Brasil”, afirmou o presidente da FEPAL.

Confira a entrevista completa de Ualid ao Fórum Café desta terça-feira (10):