ASSUSTADOR

Ataque a hospital em Gaza: jornalista palestino fala em "corpos empilhados e restos de vítimas"

Saher Mahmoud Madkour faz relato impactante sobre situação do hospital Al-Ahli, onde mais de 500 pessoas, entre mulheres e crianças, morreram após bombardeio israelense, segundo autoridades palestinas; veja fotos [ATENÇÃO, IMAGENS FORTES]

Ataque israelense a hospital em Gaza deixa mais de 500 mortos, segundo autoridades palestinas.Créditos: /Foto: Imagem cedida por Saher Madkour
Escrito en GLOBAL el

Em relato enviado à Fórum, o jornalista palestino Saher Mahmoud Madkour, que é altamente reconhecido entre seus pares, descreveu um cenário assustador após o bombardeio na tarde desta terça-feira (17) contra o Hospital Al-Ahli, na Faixa de Gaza. Segundo autoridades palestinas, a unidade de saúde árabe foi atacada possivelmente com um foguete ou um míssil lançado pelas forças militares israelenses, matando mais de 500 pessoas, inclusive mulheres e crianças. 

“O massacre no Hospital Al-Ahli não tem precedentes na nossa história. Sei que testemunhamos massacres horríveis nos últimos dias, o que aconteceu esta noite constitui um genocídio por todas as definições, não há feridos, todos estão mortos", declarou o ministro da defesa civil de Gaza, Mahmoud Basal. 

"Na sequência da 'ordem de evacuação' de Israel, centenas de civis palestinos refugiaram-se em hospitais, incluindo o Hospital Árabe Al-Ahli. Os hospitais têm direito a proteção especial ao abrigo do DIH e devem ser protegidos em todas as circunstâncias. Este é um crime de guerra, puro e simples", declarou o Centro Al Mezan de Direitos Humanos, que observa violações de direitos humanos na Palestina.

Em meio à repercussão sobre o ocorrido, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, foi às redes sociais para afirmar que o ataque teria sido deflagrado pela Jihad Islâmica, que teria lançado um foguete que falhou e atingiu o hospital. O grupo militante palestino, entretanto, nega a autoria. 

Corpos empilhados 

Segundo o jornalista palestino Saher Mahmoud Madkour, que vive em Gaza, "corpos foram empilhados no pátio do hospital" após "um ataque israelense que matou e feriu centenas de pessoas". 

"Enquanto as imagens mostram os corpos e restos das vítimas, os feridos são crianças e mulheres, e o número de mortos excede pelo menos 500 pessoas", detalhou Madkour em relato enviado à Fórum

O jornalista conta, ainda, que o hospital atacado é "afiliado à comunidade cristã" e que representa "um patrimônio histórico que atende a todos os segmentos da sociedade palestina". 

Veja abaixo fotos do Hospital Al-Ahli após o bombardeio cedidas por Saher Madkour [ATENÇÃO: IMAGENS FORTES]: