1 DE MAIO

Gleisi: governo quer reconstruir um Brasil esfacelado pelo neoliberalismo

Em pronunciamento de primeiro de maio, presidenta do PT celebra conquistas e cita desafios do governo Lula

Escrito en GLOBAL el

Nesta quarta-feira (1), a presidente do PT e deputada federal pelo Paraná Gleisi Hofmann fez um pronunciamento celebrando o Dia do Trabalhador.

A líder da militância petista fez um apanhado do histórico de lutas do Partido dos Trabalhadores e citou as conquistas do terceiro mandato do presidente Lula.

Ela citou os esforços do governo para "reconstruir um país que foi praticamente destruído pela extrema direita e pelo neoliberalismo".

Além disso, reforçou os dados de políticas públicas implementadas pelo PT, como os programas sociais, a geração de empregos e o acesso à moradia popular.

E complementou garantindo que "nesse 1º de maio, a gente quer celebrar um capítulo novo dessa história, que já tem 44 anos, o PT e a classe trabalhadora, juntos, por um Brasil melhor e mais justo".

Veja o vídeo:

Leia o discurso de Gleisi Hoffmann na íntegra:

Olá, pessoal. 1º de maio é o dia de celebrar as lutas e conquistas dos trabalhadores e das trabalhadoras. E o PT nasceu para participar ativamente da vida da classe trabalhadora no Brasil.

Nasceu das lutas, nos sindicatos e nas fábricas, por melhores salários, condições de trabalho para homens e mulheres. Nas lutas pela liberdade de organização e de manifestação, num tempo em que fazer greve dava cadeia, porque existia uma ditadura do lado dos patrões. Juntos, nós conquistamos muitas vitórias, principalmente nos governos do PT.

Geramos mais de 20 milhões de empregos em 12 anos. O salário mínimo cresceu junto com o país, sempre acima da inflação. Criamos o Minha Casa Minha Vida para realizar o sonho da casa própria para milhões de famílias.

Fizemos o maior programa de reforma agrária da história do país. Com o Bolsa Família e outros programas, colocamos os trabalhadores e as trabalhadoras e a população mais pobre no centro de políticas de governo. Só um governo do PT poderia ter feito tanto, sempre com apoio e participação dos trabalhadores da cidade e do campo.

A gente sabe que muita coisa mudou nesses 44 anos em que estamos juntos. A produção nas fábricas e no campo foi muito automatizada. Novas tecnologias substituíram grande parte dos empregos.

No comércio e nos serviços, avançou muito o trabalho à distância, em casa, pela internet e por telefone. Os aplicativos trouxeram, junto com a tecnologia, novas relações de trabalho e de consumo, que a gente nem sonhava alguns anos atrás. Tudo isso afetou a relação com os sindicatos e até mesmo com os partidos políticos que defendem os trabalhadores.

É um mundo novo que precisamos compreender para continuar vencendo a injustiça e a desigualdade, porque estas não desapareceram, continuam aí a nos desafiar. Mas tem uma coisa que não mudou, é o compromisso do PT com a classe trabalhadora. O compromisso do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras com o povo, com o Brasil, a justiça social e a democracia.

Nosso governo, o governo do presidente Lula, está fazendo um grande esforço para reconstruir um país que foi praticamente destruído pela extrema-direita e pelo neoliberalismo. A economia voltou a crescer e a gerar empregos. Tivemos em 2023 a menor taxa de desemprego dos últimos 10 anos.

Colocamos a inflação sob controle outra vez e a renda da população cresceu mais de 11% só no primeiro ano com Lula. Reconstruímos e fortalecemos políticas fundamentais para o povo. Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Farmácia Popular.
E estamos construindo políticas novas para um novo mundo que existe cada vez mais educação e formação tecnológica. É o caso, por exemplo, do Pé de Meia, uma poupança que o governo faz para os filhos e filhas dos trabalhadores permanecerem no ensino médio. E também a abertura de 100 novos institutos federais, que o presidente Lula anunciou agora em março.

Lula sancionou e vamos fazer aplicar a nova lei que garante salários iguais para mulheres e homens que fazem a mesma coisa nas empresas. Enviamos um projeto ao Congresso para cortar os impostos da cesta básica, que vai ficar totalmente isenta na reforma tributária. E o governo está reconstruindo os estoques regulatórios de alimentos, que foram destruídos pelo governo anterior, para garantir que não falte comida com preço justo na mesa do nosso povo.

É muita coisa que precisa ser feita e está sendo feita para melhorar a vida das pessoas, abrir novas oportunidades e fazer justiça. E isso só está sendo possível porque o povo brasileiro confiou mais uma vez no PT, mais uma vez em Lula e em nosso compromisso. Nesse 1º de maio, a gente quer celebrar um capítulo novo dessa história, que já tem 44 anos, o PT e a classe trabalhadora, juntos, por um Brasil melhor e mais justo.

Viva o 1º de maio, viva o Dia dos Trabalhadores e das Trabalhadoras