Fórumcast #19
20 de março de 2019, 12h24

Ações da Bayer despencam após júri nos EUA ligar Roundup ao câncer

Agrotóxico à base de glifosato é responsável por causar câncer, segundo tribunal dos EUA. No Brasil, Bolsonaro promove uma liberação generalizada de produtos químicos

Protesto contra o agrotóxico Roundup, da Bayer (Reprodução)

Enquanto o governo Jair Bolsonaro (PSL) promove uma liberação generalizada de agrotóxicos, nos Estados Unidos, a indústria química Bayer viu suas ações despencarem após um segundo júri decidir, nesta terça-feira (19), que seu herbicida Roundup causa câncer.

A Bayer adquiriu a Monsanto, a fabricante de longa data do Roundup, por US$ 63 bilhões no ano passado.

As ações da Bayer caíam quase 12,5% às 9h30, na maior perda intradiária em 16 anos. A empresa perdeu cerca de € 8 bilhões (US$ 9,1 bilhões ou R$ 34 bilhões) em valor de mercado. O glifosato é o herbicida mais usado no mundo.

O Roundup da Monsanto foi o primeiro herbicida à base de glifosato, mas não é mais protegido por patente e muitas outras versões já estão disponíveis.

A Bayer, que nega as alegações de que o glifosato ou o Roundup causam câncer, disse que ficou desapontada com a decisão inicial do júri.

O caso foi apenas o segundo dos cerca de 11.200 processos envolvendo o Roundup a ir a julgamento nos Estados Unidos.

Veja também:  Lucro do maior grupo educacional privado brasileiro tem queda de 44,2% no segundo trimestre

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum