Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
01 de agosto de 2019, 08h37

Acordo secreto com Bolsonaro sobre Itaipu gera pedido de impeachment do presidente do Paraguai

Oposição vai pedir o impeachment do presidente Mario Abdo, acusado de "traição à pátria" ao fechar acordo sobre Itaipu que beneficiaria empresa ligada ao clã Bolsonaro

Mario Abdo, presidente do Paraguai, e Bolsonaro (Foto: Allan Santos/PR)

O acordo secreto de renegociação da Usina de Itaipu, assinado entre o governo Jair Bolsonaro e o Paraguai pode levar ao impeachment do presidente do país vizinho, o conservador Mario Abdo Benítez, e de seu vice, Hugo Velázquez. Segundo a imprensa paraguaia, itens do texto foram excluídos como o objetivo de beneficiar empresa ligada ao clã Bolsonaro. O escândalo já derrubou o ministro das Relações Exteriores, Luis Alberto Castiglioni, e outras três autoridades do país.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Partidos de oposição anunciaram nesta quarta-feira (31) que apresentarão um pedido de impeachment contra o presidente e o vice, em meio a uma crise política detonada pela assinatura do acordo energético com o Brasil.

O impeachment de Mario e Velázquez foi levantado pelo Partido Liberal (PLRA), segundo maior da Câmara, e recebeu apoio de setores do Partido Colorado, de Mario, ligados ao ex-presidente Horacio Cartes. A Frente Guasú, do ex-presidente Fernando Lugo, e partidos minoritários na Câmara também apoiam o impedimento.

A justificativa principal é “traição à pátria”.  Efrain Alegre, líder do PLRA e segundo colocado na eleição presidencial de 2018, publicou em seu Twitter que “a alta traição à pátria não merece menos [que um impeachment]”. “Esperamos o acompanhamento de todos vocês para fazer justiça. Paraguai não se entrega nunca mais”, disse.

Impeachment
Segundo o jornal paraguaio ABC, para o impedimento do chefe de Estado e seu vice são necessários, inicialmente, 53 votos na Câmara dos Deputados. A oposição possui 38 deputados, mas pode ultrapassar a marca necessária se contar com o apoio do de parte do partido Colorado comandado por Horacio Cartes, vindo da ala renovadora do partido, liderada por Honor Colorado. O líder do grupo no Congresso, Bachi Núñez, confirmou que vota pelo impeachment: “o pior pecado é entregar a pátria”.

Caso passe pelos deputados, o processo segue para o Senado, onde a oposição por si só já possui maioria. Com a aprovação do pedido, o presidente do Senado, Blas Llano (PLRA), assume interinamente o país por 90 dias com a obrigação de convocar novas eleições.

Em 2012 o ex-presidente Fernando Lugo foi vítima de um processo de impeachment bastante atropelado, realizado em apenas dois dias. O golpe foi condenado internacionalmente, gerou a suspensão do país do Mercosul e criou uma grande instabilidade política.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum