Fórum Educação
12 de fevereiro de 2020, 09h28

Antes de encontrar Lula, Papa Francisco faz crítica contundente a Bolsonaro sobre política na Amazônia

As operações econômicas que não respeitam o direito dos povos nativos ao território e sua demarcação, há que rotulá-las com o devido nome: injustiça e crime, diz o documento

Papa Francisco, com camiseta Lula Livre, e Bolsonaro (Montagem)

O Papa Francisco apresentou nesta quarta-feira (12) seu texto conclusivo sobre o Sínodo da Amazônia. Intitulado de “Querida Amazônia”, com 111 parágrafos (ou itens) e dividido em quatro capítulos. Francisco — sem citar nenhum governo ou presidente da região — critica de forma contundente alguns dos aspectos que passaram a integrar a agenda do Brasil de Jair Bolsonaro no último ano, como a exploração mineral de terras indígenas e a legalização do garimpo.

“As operações econômicas, nacionais ou internacionais, que danificam a Amazônia e não respeitam o direito dos povos nativos ao território e sua demarcação, à autodeterminação e ao consentimento prévio, há que rotulá-las com o devido nome: injustiça e crime”, diz o documento.

E acrescenta: “Quando as autoridades deixam o caminho aberto a madeireiros, a projetos minerários ou petrolíferos e outras atividades que devastam as florestas e contaminam o ambiente, transformam-se indevidamente as relações econômicas e tornam-se em um instrumento que mata”.

A realização do sínodo provocou críticas do governo Bolsonaro à Igreja Católica por considerar a discussão sobre o meio ambiente e os povos indígenas uma ingerência externa na soberania brasileira, uma tentativa de internacionalizar a Amazônia.

Francisco respondeu num dos parágrafos: “A solução não está numa internacionalização da Amazônia, mas a responsabilidade dos governos nacionais torna-se mais grave”.

Com informações do Valor


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum