Após almoçar em “puxadinho” de churrascaria, Bolsonaro é xingado de “assassino” em Nova York

O restaurante brasileiro Fogo de Chão improvisou uma área externa, coberta com panos pretos, para que Bolsonaro pudesse driblar a exigência de comprovante de vacinação em espaços fechados da cidade

Publicidade

Nesta segunda-feira (20), mesmo dia em que foi repreendido pelo prefeito de Nova York (EUA), Bill De Blasio, por não ter tomado vacina contra a Covid, o presidente Jair Bolsonaro arranjou uma forma de almoçar em um restaurante da cidade: com um “puxadinho”.

Na metrópole estadunidense, toda pessoa que quiser acessar restaurantes, bares, museus ou qualquer ambiente fechado deve apresentar comprovante de vacinação. Como Bolsonaro não se imunizou, ele precisou comer pizza na rua, no último domingo (20), e nesta segunda-feira (20) almoçou na unidade da churrascaria brasileira Fogo de Chão em Nova York, que improvisou uma área externa para o presidente e sua equipe driblarem as regras sanitárias. A rede de churrascaria gaúcha é notadamente bolsonarista.

Publicidade

Bolsonaro e sua comitiva almoçaram em mesas na parte de fora do restaurante, cercadas por uma grade e panos pretos, que impediam as pessoas da rua de verem o convescote.

“Ele ficou na área externa porque é a área permitida pra pessoas sem vacinação. Então arrumamos tudo pra ele poder vir almoçar com a gente nesse dia do gaúcho. Ele fez questão de sentar do lado de fora, até porque do lado de dentro a gente não deixaria porque violaria a lei de Nova York”, disse à BBC News Brasil Francisco Kappa, gerente geral da churrascaria.

Publicidade
Publicidade

Segundo a reportagem da BBC, após o almoço, Bolsonaro caminhou pela 5ª Avenida até o hotel em que está hospedado e, no trajeto, teria sido xingado de “assassino” por uma brasileira que o reconheceu.

O chefe do Executivo, inclusive, deu entrada no hotel, no domingo, pela porta dos fundos, já que em frente à entrada principal acontecia um protesto contra ele.

Publicidade
Publicidade

Prefeito de NY enquadra Bolsonaro

O prefeito de Nova York (EUA), Bill De Blasio, enquadrou o presidente Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira (20), ao cobrar vacinação contra a Covid-19 para participar da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece esta semana na cidade.

“Precisamos mandar uma mensagem a todos os líderes mundiais, especialmente Bolsonaro, do Brasil, de que se você pretende vir aqui, você precisa ser vacinado. E se você não quer se vacinado, nem venha, porque todos devem estar seguros juntos. Isso significa que todo mundo deve estar vacinado”, declarou o democrata.

Publicidade

A cidade de Nova York tem regras que exigem comprovante de vacinação contra a Covid para acessar locais fechados, como restaurantes, cinemas, museus e como a própria sede da ONU.

A organização da Assembleia Geral, diferentemente do prefeito Bill De Blasio, no entanto, informou que não cobrará vacinação dos chefes de Estado.

Publicidade

No domingo (19) Bolsonaro chegou a Nova York e, pós entrar pelos fundos do hotel Intercontinental para evitar se deparar com protestos, o presidente foi fotografado comendo pizza na rua, já que, como uma pessoa que não se imunizou, não pode entrar em restaurantes.

O presidente brasileiro é o único entre os chefes de Estado do G-20 que não tomaram vacina contra a Covid.

Notícias relacionadas

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR