sábado, 26 set 2020
Publicidade

Após massacre em Gaza, Gilberto Gil cancela show em Israel

O músico Gilberto Gil cancelou a apresentação que faria em Israel no dia 4 de julho, segundo o colunista d’O Globo Ancelmo Gois. Em 2015, Gil esteve em Tel Aviv ao lado de Caetano Veloso e foi criticado. Na época ele disse que tocaria “para um Israel palestino”.

Neste ano Gil cancelou o show após pelo menos 60 palestinos terem sido mortos por e cerca de 2,7 mil terem ficado feridos por soldados israelenses, de acordo com o Ministério da Saúde palestino, em protesto contra a transferência da embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém.

A abertura da embaixada em Jerusalém era uma promessa do atual presidente norte-americano Donald Trump. A medida, no entanto, fere o direito internacional, além de dificultar o processo de paz na região.

Em 2017, quando anunciada a mudança da Embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, 128 países, dos 198 que integram a Assembleia Geral da ONU, votaram uma resolução de condenação à decisão norte-americana. Apenas 7 países ficaram com Trump.

A violência contra os palestinos foi criticada até pelo Papa Francisco. “Reitero que o uso da violência jamais leva à paz. Guerra chama guerra, violência chama violência.”

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.