Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
20 de junho de 2018, 18h43

Após pressão internacional, Trump recua em sua política de separar crianças dos pais

Mais de 2 mil filhos de imigrantes já foram afastados de seus pais desde abril; o presidente norte-americano finalmente assinou uma ordem para que famílias sejam mantidas unidas

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump recuou de sua política de separar crianças imigrantes dos pais, após causar indignação internacional e dentro de seu próprio país. Cerca de 2300 filhos de imigrantes foram mantidos em centros que parecem prisões.

Nesta quarta-feira (20), finalmente Trump assinou uma ordem para que as famílias sejam mantidas juntas. Afirmou ainda que a separação teria sido “um efeito colateral indesejado” da política de “tolerância zero” e que tem “compaixão”.

Mas ao mesmo tempo, informou que vai continuar expulsando imigrantes. “Trata-se de manter as famílias unidas ao mesmo tempo em que temos uma fronteira muito forte, muito poderosa”, sustentou.

Um áudio com choro de crianças desesperadas pedindo pelos pais aumentou a indignação com a política de tolerância zero do republicano. “Papai! Papai”, disse uma criança, em um áudio divulgado pela organização de jornalismo investigativo ProPublica.

Para a colunista da Fórum, Ana Prestes, a política migratória norte-americana deixou o estágio da “tolerância zero” para um grau de xenofobia institucional alarmante.

“Trump voltou atrás na política de separar crianças dos pais e colocá-las em gaiolas. A pressão foi grande! Aqui no plenário o PSOL apresentou uma moção de repúdio a essa absurda política do governo dos EUA, mas o DEM manobrou para que a matéria não fosse votada!”, afirmou o deputado federal pelo PSOL Glauber Braga.

Indignação nos EUA

A jornalista Rachel Maddow, apresentadora da rede MSNBC, se emocionou na noite desta terça-feira (19) e não conseguiu ler até o final uma notícia sobre a decisão do governo Trump.

Na noite de segunda-feira (18), duas ex-primeiras-damas dos EUA criticaram a política cruel de Donald Trump pelo Twitter. E até a esposa do presidente, Melania Trump, disse por meio de um comunicado, lido por uma porta-voz, que “precisamos ser um país que respeita as leis, mas também um país que governa com o coração”.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum