Argentina denuncia presença de submarino nuclear dos EUA no Atlântico Sul, incluindo Brasil

Segundo o Ministério de Relações Exteriores do país vizinho, a embarcação USS Greeneville teria violado tratados internacionais, e estaria cobrindo faixa entre o Sul do Brasil e as Ilhas Malvinas

O Ministério de Relações Exteriores da Argentina alertou nesta sexta-feira (12) que seu país detectou a presença de um submarino nuclear dos Estados Unidos no Atlântico Sul, próximo às suas águas territoriais, e também ao que se considera território marítimo do Brasil e do Uruguai.

Segundo as autoridades argentinas, a embarcação USS Greeneville teria sido identificada pelos equipamentos da marinha operando por uma faixa que iria desde o Sul do Brasil até as proximidades das Ilhas Malvinas.

Apesar de o submarino não ter ingressado no mar territorial de nenhum país sul-americano, o governo argentino reclamou da situação, afirmando que “a presença de navios aptos a carregar e utilizar armas nucleares no Atlântico Sul contradiz a Resolução 41/11 da Assembleia Geral das Nações Unidas”.

O governo argentino também afirma que o submarino estadunidense estaria operando com o apoio de uma base militar britânica nas Ilhas Malvinas.

“Não é a primeira vez que a Argentina reconhece ações relacionadas à base militar britânica nas Ilhas Malvinas contrariando resoluções das Nações Unidas”, alertou o Ministério das Relações Exteriores do país sul-americano.

Enquanto a Argentina do progressista Alberto Fernández enfatiza sua “grave preocupação” com a operação do submarino dos Estados Unidos no Atlântico Sul, os governos de Brasil e Uruguai – dos presidentes de direita Jair Bolsonaro e Luis Lacalle Pou, respectivamente – ainda não se pronunciaram oficialmente sobre o tema, embora a operação do submarino USS Greeneville tenha se aproximado das águas territoriais de ambos os países.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR