Fórumcast #19
21 de março de 2019, 21h47

Assessor de Guaidó preso na Venezuela tem vínculos com terrorismo, afirmam autoridades

Segundo nota do governo de Maduro, na busca por Roberto Marrero foram encontradas em sua residência armas de guerra e uma quantia em dinheiro estrangeiro

Foto: Divulgação

O presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou nesta quinta-feira (21) que um grupo terrorista que foi desmantelado pelas autoridades locais planejava atacar quartéis, hospitais e serviços públicos, como estações de metrô de Caracas.

Maduro declarou que “estamos em pleno processo para desmembrar e entregar à justiça todo o grupo terrorista”, disse.

O Ministério Público da Venezuela, em conjunto com o Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional, prendeu Roberto Eugenio Marrero Rojas, que se diz “chefe de gabinete” do “autoproclamado presidente” Juan Guaidó,

Marrero “está sendo investigado por sua vinculação com crimes que implicam na violação da ordem constitucional e promoção de terrorismo e violência”, disse um comunicado das autoridades.

Na busca por Marrero foram encontradas em sua residência armas de guerra e uma quantia em dinheiro estrangeiro.

Ameaças

Os Estados Unidos voltaram a ameaçar Maduro, depois da prisão do “chefe de gabinete” de Juan Guaidó. John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional de Donald Trump, disse que isso “não ficará sem resposta”.

Bolton declarou, ainda, que Maduro “cometeu outro grande erro”. “Ele deve ser libertado imediatamente e sua segurança garantida”, escreveu, em sua conta oficial do Twitter. Mais tarde, voltou a tocar no assunto para ameaçar com “sanções mais duras”.

Veja também:  Bolsonaro negocia com Senado órgãos de R$ 2,5 bilhões para emplacar Eduardo na embaixada

Não foi somente Bolton que ameaçou Maduro. O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, já havia condenado a prisão de Marrero. Também via Twitter, disse que “vamos responsabilizar os envolvidos”.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum