Bolívia: Jeanine Añez anuncia que mandado de prisão contra Evo Morales sairá “nos próximos dias”

A autoproclamada presidenta da Bolívia disse que Evo Morales atrapalha seus planos de "defender a democracia e a liberdade". O ex-líder sindical está como refugiado na Argentina após ter sido derrubado por um golpe de Estado

Durante cerimônia com militares realizada neste sábado (14), a autoproclamada presidente da Bolívia, Jeanine Añez, anunciou que em poucos dias será emitida ordem de prisão contra o ex-presidente Evo Morales. Añez tomou o poder no país após consumação do golpe de Estado que derrubou Morales.

“Certamente nos próximos dias o mandado de prisão será emitido [contra Morales], já fizemos as denúncias relevantes”, informou Añez. Ela afirmou ainda que Morales pode voltar ao país “quando quiser”, mas que “deve enfrentar a Justiça”. O governo golpista acusa o ex-presidente de sedição e terrorismo.

A presidenta de fato ainda afirmou que busca “defender a democracia e a liberdade” e afirmou que o que ela pede para Morales é que ele a deixe “viver em paz”.

Morales, que estava asilado inicialmente no México, chegou à Argentina nesta semana. Diretamente do país vizinho, ele atuará como como coordenador da campanha do seu partido, o MAS, nas próximas eleições que serão realizadas em 2020. A legenda ainda não escolheu seu candidato, mas o favorito é o jovem líder cocaleiro e cientista político Andrónico Rodríguez, de 30 anos.

“Fraude”

Neste sábado, Morales usou as redes sociais para denunciar mais uma vez o informe da OEA que apontou “irregularidades” nas eleições. O ex-presidente elencou pesquisas realizadas internacionalmente para denunciar a “farsa” montada pela organização. “Três relatórios sérios destroem os conspiradores do golpe nas eleições na Bolívia e denudam as fraudes da OEA: 1. Universidade de Michigan (Walter Mebane); 2. Centro de Pesquisa Econômica e Política (CEPR) Washington; 3. Mais de 100 especialistas de universidades de prestígio”, pontuou.

“Os três estudos afirmam que não houve fraude e vencemos no primeiro turno. Além disso, os 98 especialistas pedem à OEA que reveja seu relatório e solicitam que o Congresso dos EUA investigue a auditoria fraudulenta patrocinada por Almagro”, completou.

Com informações da Agência Boliviana de Informações

 

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.