Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de abril de 2019, 10h38

Bolsonaro vai a museu do holocausto, que diz que nazismo é de”grupos radicais de direita”

Na viagem a Israel, Bolsonaro está acompanhado do ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que defende a tese propagada nas redes sociais de que o nazismo é de esquerda

O museu do Holocausto, em Jerusalém. No detalhe, Bolsonaro, Netanyahu e Ernesto Araújo (Montagem/Reprodução)

Em sua viagem a Israel, Jair Bolsonaro (PSL) visita nesta terça-feira (2) o centro de memória do Holocausto Yad Vashem, em Jerusalém, museu público israelense que lembra as vítimas e aqueles que combateram o genocídio de seis milhões de judeus pelos nazistas.

Em seu site, a instituição traz um breve histórico sobre a ascensão do partido nazista, que é classificado como um dos braços dos “grupos radicais de direita”.

A Fórum está fazendo uma cobertura exclusiva da viagem do presidente Jair Bolsonaro a Israel e precisa do seu apoio. Clique aqui e saiba como ajudar

Na viagem a Israel, Bolsonaro está acompanhado do ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que defende a tese propagada nas redes sociais de que o nazismo é de esquerda.

Ao abordar a situação alemã após o Tratado de Versailles, que selou a paz entre as principais potências europeias após a Primeira Guerra, o museu explica que havia um clima de frustração que, “junto a intransigente resistência e alertas sobre a crescente ameaça do Comunismo, criou solo fértil para o crescimento de grupos radicais de direita na Alemanha, gerando entidades como o Partido Nazista”.

Além do museu, o complexo Yad Vashem abriga um importante centro de pesquisas sobre o período nazista.

Bolsonaro visitará a exposição Flashes of Memory – Fotografia durante o Holocausto. Ele também depositará flores em homenagem às vítimas do nazismo e assinará o livro de honra do memorial.

Com informações da BBC Brasil

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum