Fórumcast #20
29 de junho de 2019, 17h18

Capitã de navio de resgate é presa na Itália por ajudar refugiados no Mediterrâneo

Carola Rackete é uma das comandantes do Sea Watch 3, navio que vinha desafiando as medidas de Matteo Salvini que proibia os barcos de resgate de atracarem nos portos italianos. Agora, ela aguarda julgamento, e seu caso poderá ter o mesmo destino do de sua colega Pia Klemp, que também aguarda sentença.

Carola Rackete, uma das comandantes do Sea Watch 3 (Foto: Sea-Watch.org)

A bióloga marinha alemã Carola Rackete, uma das comandantes do navio Sea Watch 3 foi presa neste sábado (29), após atracar na Sicília (Itália) quando sua embarcação trazia 40 pessoas que foram resgatadas no Mar Mediterrâneo.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

A acusação foi que ela violou uma lei estabelecida pelo ministro do Interior Matteo Salvini, que proíbe navios que tragam refugiados de atracar nos portos italianos.

A decisão de Rackete de atracar na Sicília aconteceu após duas semanas de impasse nas negociações com as autoridades italianas. A cientista e marinheira alemã afirmou que a “era preciso arriscar a entrar no porto, porque a situação a bordo do navio estava mais desesperadora do que nunca”.

Através das redes sociais, Salvini reagiu ao fato, dizendo que sua paciência com esse tipo de caso havia acabado: “usaremos todos os meios legais para impedir que um navio fora da lei que coloque dezenas de migrantes em risco por causa de um jogo político sujo”, afirmou.

Veja também:  Queimadas contribuem para "dia virar noite" em São Paulo

As pessoas resgatadas pelo Sea Watch 3 foram encontradas em uma jangada inflável à deriva, perto da costa da Líbia, mas o navio não quis levá-las a Trípoli. “A Líbia não é um país seguro, forçar as pessoas resgatadas a voltar para um país devastado pela guerra, onde podem ser presas e torturadas, é um crime que nunca iremos cometer”, disse Giorgia Linardi, porta-voz da tripulação.

Rackete não é a primeira comandante do Sea Watche 3 a ter problemas com a Justiça italiana, desde o começo do ano. Sua colega Pia Klemp aguarda sentença pelo mesmo motivo, violar as leis de Salvini contra os que trabalham no resgate de refugiados no Mediterrâneo.

Segundo essa nova legislação, ambas correm o risco de pegar penas que vão desde multas altíssimas ou mesmo prisão – que poderia chegar até os 20 anos.

Com informações do The Guardian.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum