O que o brasileiro pensa?
13 de julho de 2020, 22h20

“Capitão América” se suicida na frente da esposa nos EUA

O sargento Andrew Marckesano tinha 34 anos e ganhou esse apelido depois de passar 10 anos entre tropas estadunidenses no Iraque e no Afeganistão, sobrevivendo a algumas das batalhas mais sangrentas, que o deixaram traumatizado

Andrew Marckesano (foto: Facebook)

Aconteceu no dia 6 de julho. Andrew Marckesano, ex-sargento do exército dos Estados Unidos, veterano de guerra com passagem pelo Iraque e pelo Afeganistão, saiu de um jantar em Washington com seus ex-comandantes, voltou para casa, na qual se encontrou com sua mulher. Ao entrar, em frente à esposa, e quando seus três filhos estavam dormindo, o militar disparou contra si mesmo e cometeu suicídio.

A notícia veio à tona nos Estados Unidos apenas no fim de semana, com os meios de comunicação destacando a história do sargento, que era conhecido no exército como “Capitão América”, por ter passado mais de 10 anos no Oriente Médio, enfrentando e sobrevivendo a algumas das batalhas mais sangrentas, especialmente no Afeganistão.

As experiências da guerra teriam traumatizado Marckesano, e seriam a razão do seu suicídio, segundo a hipótese que está sendo planteada até o momento. No Afeganistão, em 2009, o então sargento teria formado parte do Batalhão 2-508, um dos que sofreram o maior número de baixas durante a guerra, muitas das quais ele teria presenciado.

Marceksano também tinha recebido recentemente a condecoração da Estrela de Prata, como reconhecimento de sua bravura em combate. A medalha foi entregue poucos dias depois de sua mudança para a capital estadunidense, onde passaria a trabalhar no setor administrativo do Pentágono.

O caso não se trata de um evento isolado no país. Por exemplo, segundo números do Departamento de Veteranos do mesmo Pentágono, os Estados Unidos registraram uma média de 20 suicídios de veteranos de guerra por dia, durante o ano de 2019.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum