Checagem de porta em porta é uma das estratégias de Cuba para conter Covid

O país caribenho de 11 milhões de habitantes registra 300 mortes pela doença

Com apenas 300 mortes provocadas pela Covid-19 desde o início da pandemia em sua população de mais de 11 milhões de habitantes, Cuba é tida como um dos exemplos a serem seguidos no combate à doença. Além do monitoramento rigoroso de viajantes, o país caribenho faz um acompanhamento da própria população, de casa em casa.

Esse método, chamado de pesquisa ativa, é apontado pelas autoridades de saúde locais como um dos trunfos do sistema cubano no enfrentamento da pandemia.

“Sem dúvida, a pesquisa ativa distingue o sistema de saúde cubano. Não quer dizer que outras geografias não a usem, mas como a detecção precoce e a prevenção são características da nossa Medicina de Família, a epidemia nos encontrou preparados para controlá-la”, disse Anay Montalvo Ibarra, diretora da divisão de Saúde de Cienfuegos, ao Granma.

“Para se ter uma ideia, só na jurisdição de uma das clínicas há 92 locadoras e que fazem uma vigilância epidemiológica rigorosa”, afirmou ainda Miriam Pellón Rodríguez, vice-diretora de Assistência Médica de uma região de Cienfuegos.

Desde março, o país conta com a adesão de estudantes de cursos da área de Saúde para ajudar nesta missão de monitoramento da população.

Segundo dados oficiais, Cuba possui 45.361 infectados e 300 óbitos. A mortalidade por Covid no país caribenho é de algo em torno de 2.6 por 100 mil, enquanto no Brasil – que se aproxima de 250 mil vítimas fatais – esse número chega a 117,3 por 100 mil.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR