No rastro do óleo do Nordeste
07 de novembro de 2019, 20h33

Chile: Piñera lança medidas de criminalização das manifestações e convoca Conselho de Segurança Nacional

Pacote de medidas de segurança inclui ampliação do poder das polícias, criação de novo sistema de inteligência e aposta no que se denominou “inteligência preventiva”

Militar reprime protesto no Chile - Foto: Reprodução/Twitter

Do Chile, especial para a Fórum

Depois de várias medidas sociais que não surtiram efeito na opinião pública, o presidente chileno Sebastián Piñera decidiu partir para uma nova estratégia política: a de fortalecer a repressão.

Nesta quinta-feira (7), o mandatário anunciou um pacote de medidas de segurança pública, que visam ampliar o poder de atuação das polícias durante as manifestações, e reforçar seu armamento e equipamento. Nas redes sociais, algumas pessoas já chamam esta medida de “pacote antiprotestos”, já que muitas das medidas sugerem uma criminalização das manifestações populares.

O anúncio também incluiu uma proposta de criar um Sistema Nacional de Inteligência, cuja descrição de suas atribuições usou o termo “inteligência preventiva”. Tal expressão despertou o temor sobre qual seria sua doutrina, tendo em vista o trauma deixado pelos aparatos estatais de inteligência policial, que operaram durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

Ordem pública

É importante destacar que todos os pontos do pacote de Piñera deverão ser aprovados pelo Congresso Nacional para se tornarem lei. Durante a apresentação do projeto, o presidente declarou que “estamos convencidos (como governo) de que esta agenda representa uma contribuição significativa para melhorar a nossa capacidade de controlar e resguardar a ordem pública, e proteger a cidadania, e por isso acreditamos que sua aprovação é necessária e urgente”

Além do anúncio do pacote de segurança, Piñera também convocou uma reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional, que acontecerá nesta mesma quinta. Segundo a Constituição chilena, este Conselho – que inclui os representantes dos três poderes do Estado e os chefes militares e policiais – só deve ser convocado em caso de “grave ameaça à ordem social e constitucional”, o que também causou grande apreensão sobre as intenções que levaram Piñera a convocar esta reunião.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum