Entrevista exclusiva com Lula
14 de novembro de 2019, 19h09

Chile registra mais de 26 mil prisões desde o início da crise social

Números medem os casos registrados entre os dias 18 de outubro e 11 de novembro. Só na capital Santiago foram detidas quase 9 mil pessoas. Números são oficiais, divulgados pelo Poder Judiciário

Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (14), o Poder Judiciário chileno divulgou um novo balanço das prisões realizadas desde o início da convulsão social que tomou conta do país.

Os números apresentados são impressionantes: entre os dias 18 de outubro (quando houve a primeira grande manifestação) até o dia 11 de novembro, foram registradas 26.125 detenções. Somente na cidade de Santiago, capital do país, foram 8.664 prisões.

O informe também revela que apenas 1.108 desses casos foram declarados ilegais, e os prisioneiros terminaram sendo libertados, o que corresponde a apenas 4,2% dos casos. No entanto, o documento afirma também que muitas dessas prisões, sobretudo as mais recentes, ainda estão sendo avaliadas pela Justiça.
Além disso, o Ministério Público chileno também apresentou 1.716 pedidos de prisão preventiva, dos quais 1.396, foram aceitos (81,3% do total).

Diante desse panorama, a Corte Suprema de Justiça, órgão máximo do Poder Judiciário chileno, afirmou através do seu porta-voz, Lamberto Cisternas, que “a situação é obviamente grave, e esperamos que as demais instituições também atuem para encontrar soluções para a insatisfação social, porque é cada vez mais difícil pensar que as comunidades e que a sociedade possam suportar esta situação por muito mais tempo”.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum