CHINA EM FOCO

China pede unidade entre os países do BRICS e oposição à mentalidade de guerra fria

Reunião de ministros das Relações Exteriores dos países do bloco contou com discurso de abertura do presidente chinês, Xi Jinping

Escrito en GLOBAL el

Os ministros das Relações Exteriores do BRICS - bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - se reuniram por videoconferência nesta quinta-feira (19). A abertura do encontro foi realizada pelo presidente chinês, Xi Jinping, 

Em seu discurso, Xi descreveu os países do BRICS como uma "força positiva, inspiradora e construtiva" na comunidade internacional. Ele afirmou que o bloco precisa se opor ao hegemonismo e à política de poder, rejeitar a mentalidade da Guerra Fria e o confronto do bloco e trabalhar juntos para construir uma comunidade global de segurança para todos.

O presidente chinês ressaltou ainda que o BRICS deve fortalecer a confiança política mútua e a cooperação em segurança, manter comunicação e coordenação estreitas sobre as principais questões internacionais e regionais. Além de acomodar os interesses centrais de cada um e as principais preocupações, respeitar a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento de cada país.

A China ocupa a presidência rotativa do BRICS este ano. O Conselheiro de Estado e Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, presidiu a reunião. O encontrou contou com a presença dos ministros das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França; da Rússia, Sergey Lavrov; da África do Sul, Naledi Pandor; e da Índia, Subrahmanyam Jaishankar.

Wang destacou que diante dos novos desafios globais, os países do BRICS devem estar alinhados com a tendência mundial, construir consenso, fortalecer a confiança e fazer esforços para lidar com as mudanças no cenário internacional. 

Todos os lados concordaram em implementar plenamente a Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável, beneficiar melhor as pessoas dos países em desenvolvimento e promover a construção de uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade.

Os ministros das Relações Exteriores apoiaram o avanço do processo de expansão do BRICS e indicaram que mais discussões seriam realizadas sobre esta questão. Trocaram também opiniões sobre assuntos relacionados com a Ucrânia e o Afeganistão.

China corta taxa de juros em valor recorde para impulsionar economia

O Banco Popular da China (PBOC), o banco central chinês, cortou a LPR - taxa de juros para empréstimos de longo prazo - por uma margem maior do que o esperado neste mês. O objetivo da medida, anunciada nesta sexta-feira (20), é aumentar a demanda por empréstimos para sustentar a economia do país. 

A LPR é uma taxa de referência para empréstimos definida mensalmente por 18 bancos comerciais designados e anunciada pelo banco central da China. A taxa básica de empréstimos de cinco anos é referência para hipotecas e foi reduzida em 15 pontos base para 4,45% de 4,60%. 

Essa é a maior redução desde que a China reformulou o mecanismo de taxas de juros em 2019. A LPR de um ano, na qual se baseia a maioria dos empréstimos novos e pendentes no gigante asiático, permaneceu inalterada em 3,70%.

A redução seguiu-se a cortes nas taxas de um ano e mais de cinco anos em janeiro para impulsionar a economia.

O índice de ações de referência do país, o Shanghai Composite Index, subiu cerca de 1%no início do pregão com o corte da taxa na sexta-feira.

Conselho de Estado da China nomeia John Lee como novo executivo-chefe de Hong Kong

O Conselho de Estado da China decidiu nesta sexta-feira (20) nomear John Lee como o executivo-chefe do sexto mandato da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK). Lee, que venceu a eleição do executivo-chefe em 8 de maio, assumirá o cargo em 1º de julho e sucederá Carrie Lam.

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, presidiu a reunião e assinou um decreto do Conselho de Estado sobre a nomeação. Ele prometeu o apoio do governo central a Hong Kong na consolidação e aprimoramento de seu status como centro financeiro, comercial e marítimo internacional para acelerar a construção de um centro internacional de inovação e tecnologia e aumentar sua competitividade internacional.

"O governo central apoiará Hong Kong na aplicação plena de seus pontos fortes únicos para melhor integrar-se ao desenvolvimento geral do país e manter a prosperidade e a estabilidade de longo prazo", afirmou Li.

China avalia que proibição planejada do Canadá à Huawei viola regras de livre comércio

O governo do Canadá anunciou nesta quinta-feira (19) que pretende proibir os provedores de serviços de telecomunicações canadenses de implantar produtos e serviços Huawei e ZTE em suas redes 5G. A declaração foi feita pelo ministro da Inovação, Ciência e Indústria canadense, François-Philippe Champagne, que alegou preocupações de "segurança nacional" para justificar a medida.

Em resposta, a embaixada chinesa no Canadá criticou o plano de Ottawa e afirmou que a medida viola os princípios da economia de mercado e as regras de livre comércio.  A China avaliará minuciosamente o caso e tomará todas as medidas necessárias para salvaguardar os direitos e interesses legítimos das empresas chinesas.

OMS autoriza Convidecia, vacina chinesa de dose única contra a Covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) validou nesta quinta-feira (19) a vacina chinesa contra a covid Convidecia. O imunizante de dose única foi desenvolvido pela farmacêutica chinesa CanSino Biologics para uso emergencial. Trata-se da terceira vacina chinesa, após a da Sinopharm e da Sinopec, a ser certificada pela Lista de Uso de Emergência da OMS (EUL).

Pinturas de jovens no espaço são exibidas para marcar o 1º ano do lançamento de Tianhe

Uma exposição de pinturas com temas espaciais criadas por jovens chineses foi realizada no Museu de Ciência e Tecnologia da China em Pequim. A mostra marca o primeiro aniversário do lançamento da espaçonave Tianhe, lançada em 29 de abril de 2021 e que auxilia astronautas em experimentos científicos e técnicos no espaço.

No ano passado, o módulo central recebeu com sucesso naves espaciais, incluindo naves de carga Tianzhou-2 e Tianzhou-3 e naves espaciais tripuladas Shenzhou-12 e Shenzhou-13. Seis astronautas chineses estavam a bordo da espaçonave tripulada e permaneceram em órbita por meses.

Turismo virtual é o centro das atenções no 12º Dia do Turismo na China

Nesta quinta-feira (19) foi celebrado o 12º Dia do Turismo na China com o tema "Experimente a cultura chinesa e desfrute de uma bela jornada". A antiga cidade de Pingyao, província de Shanxi, norte do país, foi designada como o principal local para as atividades relacionadas à ocasião.

No entanto, afetados pela pandemia da Covid-19, os hábitos de viagem das pessoas sofreram mudanças tremendas. Tornou-se um consenso não se reunir, não viajar para longe e prestar mais atenção à higiene. Viajar por meio de novos meios técnicos, como realidade virtual e influenciadores online, tornou-se uma nova maneira de ver o mundo.

De acordo com uma pesquisa com 2.085 entrevistados realizada pelo Social Survey Center of China Youth Newspaper, 74,8% escolheriam viajar online. Até 59,7% dos entrevistados disseram que tiveram uma boa experiência de viagem virtual, enquanto 84,1% dos entrevistados disseram que enriqueceu sua experiência de viagem.

Especialmente para visitar museus, muitas pessoas disseram que os passeios virtuais deram uma visão mais detalhada das exposições.

A opção de viajar online já existia antes, mas avançou ainda mais em meio à pandemia. "Através dos meios digitais, as viagens online deram ao turismo tradicional uma nova forma de apresentação, e a tecnologia digital proporcionou mais possibilidades de produção de conteúdo relacionado ao turismo",  disseo professor da Escola de Turismo da Beijing Union University,  Li Baiwen.

A escolha da data de 19 de maio para o Dia do Turismo na China presta homenagem a  Xu Xiake. O renomado geógrafo, viajante e explorador da Dinastia Ming (1368-1644) empreendeu uma jornada de 30 anos pelo país que originou as famosas "Notas de viagem de Xu Xiake", que começaram a ser escritas nesta data.