CHINA EM FOCO

China pede ação para resolver conflito israel-palestino

Representante permanente da China na ONU, Zhang Jun, instou a comunidade internacional a tomar ações concretas para resolver o conflito entre Israel e Palestina

Créditos: Missão Permanente da China na ONU - Zhang Jun, Representante Permanente da China nas Nações Unidas, fala em uma reunião do Conselho de Segurança, Nova York, EUA (25/8/22)
Escrito en GLOBAL el

O representante permanente da China na Organização das Nações Unidas (ONU), Zhang Jun, afirmou que a comunidade internacional precisa tomar ações concretas para resolver o conflito israelo-palestino e ajudar os dois países a voltar aos trilhos, já que o status quo do território ocupado da Palestina não é sustentável.

Zhang fez nesta quinta-feira (25) durante um briefing organizado pela China, que assumiu a presidência rotativa do Conselho de Segurança da ONU. Ele acrescentou que a prioridade do conflito é pressionar todas as partes a cumprir um cessar-fogo e manter a calma, bem como manter os esforços em todas as direções diplomáticas.

O lado chinês também pediu a conveniência da entrada de bens e materiais essenciais em Gaza e o fim total das restrições de Gaza por Israel o mais rápido possível. No início de agosto, a violência eclodiu entre palestinos e israelenses na região e causou mais de 40 vítimas e centenas de feridos com danos significativos à infraestrutura.

O diplomata chinês comentou que a comunidade internacional deve superar o controle trivial da crise e enfrentar as raízes do problema. Ambos os países precisam ser encorajados a buscar a segurança mútua e mudar a atual situação negativa, disse Zhang, acrescentando que a "solução de dois Estados" precisa de um impulso.

"A paz de Israel e Palestina pode coexistir se os direitos inalienáveis ??dos palestinos forem restabelecidos, seguindo assim a coexistência harmoniosa entre os povos árabe e judeu e a paz duradoura no Oriente Médio", finalizou Zhang.

China está pronta para ajudar compatriotas de Taiwan no exterior

A China continental está pronta para ajudar os compatriotas de Taiwan, incluindo aqueles que foram recentemente presos por golpes em alguns países do Sudeste Asiático. A declaração foi feita pelo vice-diretor do Escritório de Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado chinês, Chen Yuanfeng, nesta quinta-feira (25).

Chen fez observações em resposta a uma pergunta sobre relatos da mídia de que algumas pessoas em Taiwan, na China, foram atraídas para trabalhar no Camboja, onde sofreram prisão e abuso físico.

Na semana passada, o Escritório de Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado chinês já havia anunciado que os compatriotas taiwaneses no exterior poderiam entrar em contato e buscar ajuda de embaixadas e consulados chineses quando encontrarem dificuldades.

Nesta quinta, Chen reiterou a posição da parte continental chinesa durante uma reunião com o vice-presidente do Partido Kuomintang Chinês (KMT), em Xangai, Andrew Hsia.

"O continente chinês sempre atribuiu grande importância à salvaguarda e promoção dos interesses e bem-estar dos compatriotas em Taiwan, protegendo e salvaguardando os direitos e interesses legítimos dos taiwanenses que estudam, trabalham e vivem no continente de acordo com a lei", garantiu Chen.

Ambos os lados concordaram que o Partido Comunista da China (PCCh) e o KMT devem fortalecer os intercâmbios e a comunicação, consolidar e aumentar a confiança mútua, aprofundar a cooperação e fazer esforços conjuntos para promover o desenvolvimento futuro das relações através do Estreito e das relações entre as duas partes.

Exército chinês busca Iniciativa de Segurança Global e paz mundial

Ministério da Defesa Nacional da China - Tan Kefei, vice-diretor geral do Gabinete de Informação e porta-voz do Ministério da Defesa Nacional (25/8/22)

O Exército de Libertação Popular, as forças armadas da China, vai perseguir com firmeza a Iniciativa de Segurança Global, promover o desenvolvimento inovador da cooperação militar internacional e contribuir para a estabilidade global.

A declaração foi feita pelo porta-voz do Ministério da Defesa Nacional, Tan Kefei, nesta quinta-feira (25), durante coletiva de imprensa quando perguntado sobre detalhes dos discursos do conselheiro de Estado chinês e ministro da Defesa Wei Fenghe em reuniões recentes.

Durante a 10ª Conferência de Moscou sobre Segurança Internacional, realizada no dia 16 de agosto, e a 19ª Reunião do Conselho dos Ministros da Defesa dos Estados Membros da Organização de Cooperação de Xangai (SCO) na quarta-feira (24), Wei fez discursos via link de vídeo sobre a promoção da Iniciativa de Segurança Global proposta pelo presidente chinês, Xi Jinping. Em sua fala, o ministro apontou que a China compartilhará os interesses e interesses comuns e se esforçará para promover a iniciativa de construir um futuro mais seguro e pacífico, pontuou Tan.

O porta-voz disse que o exército chinês atribui grande importância ao diálogo multilateral de segurança. Ao participar ativamente de diálogos como o Fórum Regional da SCO e da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean), a China oferece conselhos construtivos sobre como melhorar a cooperação regional em defesa. 

"Ações como o estabelecimento do Fórum Xiangshan de Pequim permitem que delegações de comunidades internacionais discutam maneiras de enfrentar ameaças e desafios de segurança regional", observou Tan. Ele acrescentou que a China desempenha um papel ativo na condução do diálogo de segurança da Ásia-Pacífico e na confiança e cooperação mútuas.

O presidente Xi propôs uma Iniciativa de Segurança Global para promover a segurança para todos em seu discurso principal proferido por vídeo na cerimônia de abertura da Conferência Anual do Fórum Boao para a Ásia (BFA) 2022, realizada em abril. A proposta visa ideias de segurança abrangentes, cooperativas e sustentáveis ??para fornecer uma nova direção na erradicação de conflitos internacionais e na garantia de uma paz duradoura.

China avança na valorização de militares veteranos na última década

CFP - Departamento Municipal de Assuntos de Veteranos de Pequim realiza a feira de empregos para veteranos no Centro Nacional de Convenções, Pequim, China (11/12/18)

Ao longo dos últimos dez anos, a China tomou uma série de medidas para melhorar os benefícios para militares veteranos e familiares, além fortalecer a educação e o treinamento desses cidadãos para torná-los mais competitivos no mercado de trabalho.

Os avanços da última década foram apresentados pelo vice-ministro do Ministério de Assuntos de Veteranos, Ma Feixiong, em coletiva de imprensa realizada na sexta-feira (26). Ele apresentou o desenvolvimento de alta qualidade dos assuntos de veteranos desde o 18º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCCh), realizado em 2012.

Desde o estabelecimento do Ministério de Assuntos de Veteranos da China, em 2018, e do Centro Nacional de Serviço de Veteranos, em 2019, centros ou estações de serviço de veteranos foram criados em todos os níveis administrativos, da comunidade à província. No ano passado, mais de 600 mil centros de serviço de veteranos foram estabelecidos para facilitar o reassentamento e emprego de ex-soldados.

Os veteranos são incentivados a ajudar no desenvolvimento econômico. Nos últimos quatro anos, mais de 2,26 milhões de veteranos conseguiram empregos ou criaram seus próprios negócios. Mais de 1,85 milhão foram reassentados com a ajuda do ministério, com a maioria encontrando cargos em agências governamentais.

A China prometeu melhorar o bem-estar e os benefícios de veteranos militares no último plano de cinco anos de 2021 a 2025, com o objetivo de ampliar oportunidades de emprego. A primeira lei para assuntos de veteranos foi introduzida em 2020 e entrou em vigor em 2021. 

A legislação diz respeito ao bem-estar dos veteranos e inclui reassentamento, educação e treinamento, além de certificados relevantes para tratamento preferencial e de oferecer políticas preferenciais de financiamento. Por exemplo, os veteranos podem obter juros com desconto em empréstimos para iniciar pequenas ou microempresas. As empresas que empregam ex-soldados também recebem incentivos fiscais.

Houve progresso na solicitação e emissão de certificados de tratamento preferencial para veteranos e a digitalização desses títulos tende a aumentar. Desde o lançamento dessa certificação, em dezembro de 2021, mais de 200 mil pedidos foram aprovados até março deste ano. 

O ministério também lançou este ano um projeto especial para ajudar veteranos em dificuldades. Quase 10 bilhões de yuans foram arrecadados por meio de vários canais, para beneficiar 32 milhões de veteranos. Também foram introduzidas medidas para garantir que os veteranos com deficiência tenham prioridade nas instituições médicas, incluindo serviços de registro, coleta de medicamentos, pagamento e hospitalização.

Artistas chineses mantêm a tradição viva com banco de dados de padrões decorativos

Huang Qingsui - Roupa étnica Tujia com padrão floral e de pássaros.

Quase tudo na natureza, como nuvens, flores e ondas do mar, ou mesmo coisas que não existem na realidade como dragões míticos, fênix e qilin (unicórnio chinês) inspiraram os ancestrais dos chineses de hoje a criar diversos padrões decorativos em objetos que vão desde necessidades da vida diária a obras de arte puras.

Seja em murais nas Grutas de Mogao - situadas nos arredores da cidade de Dunhuang, na província de Gansu, no sudeste da China, que é o maior acervo de arte budista do mundo - ou em garrafas de porcelana cloisonne - técnica de decoração de objetos de metal também conhecida como favo de mel que usa esmalte vitrificado e, na antiguidade, incrustações de pedras preciosas, vidro e outros materiais - esses padrões decorativos muitas vezes carregavam significados auspiciosos e podiam ser vistos em quase toda a China.

Os desenhos tradicionais, além de retratar a estética tradicional chinesa e registrar sem palavras a essência da vida das pessoas, também destacam as trocas entre a China e outras regiões. O grande número dessas decorações aumenta a dificuldade dos esforços de conservação. 

Muitos artistas chineses buscam maneiras de transmitir essa cultura para a próxima geração. Como o designer Huang Qingsui, que em 2013 começou a coletar padrões decorativos de áreas rurais e os registrou em um banco de dados online, batizado de Wenzang que abrange mais de 200 temas, incluindo cultura de minorias étnicas, várias dinastias e formas de arte e conta com mais de 20 mil padrões decorativos tradicionais.

O gerenciamento do banco de dados envolve três etapas. A primeira é a coleta dos padrões tradicionais por meio de vários canais, como investigação e visita a locais onde essas decorações podem ter sido transmitidas ou entrar em contato com museus e especialistas.

A segunda fase é rastrear o padrão decorativo e envolve o registro por foto e cadastro digital das imagens. Nessa etapa, quando necessário, são feitas restaurações de padrões danificados, como no caso de roupas. A última etapa envolve o arquivamento dos dados e a verificação e correção de quaisquer erros que possam ter ocorrido durante as etapas anteriores.