Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de março de 2018, 16h57

Duas vezes na mesma semana: Depois do México, Moro é escrachado em NY

Em frente ao prédio onde Moro participava de uma palestra sobre "corrupção", um grupo ergueu faixas e cartazes apontando que o juiz "vende sentenças" e distribuiu panfletos que tinham o intuito de "desmascarar" aos norte-americanos o magistrado de Curitiba

Foto: Defend Democracy in Brasil

Segunda viagem internacional da semana, segundo escracho. Depois de ser alvo de um grupo de manifestantes em visita ao México, o juiz Sérgio Moro teve que fingir que não era dele que estavam falando em uma manifestação em frente ao Americas Society, prédio em Nova Iorque (EUA) onde o juiz participou de um evento sobre “corrupção na América Latina”, na manhã desta sexta-feira (2).

Com cartazes em inglês, manifestantes do coletivo Defend Democracy in Brazil acusavam Moro de vender sentenças e de praticar o “lawfare”. Também foram proferidas palavras de ordem em defesa do ex-presidente Lula e distribuídos panfletos com um texto que procurava desmascarar o juiz. De acordo com os manifestantes, a ideia era expor a “corrupção por detrás da ‘Batalha contra a Corrupção'” de Sérgio Moro.

Em sua fala durante a palestra, Moro fez questão de enaltecer seu trabalho frente à Lava Jato e mandar indiretas para Lula, sem citar o nome do petista diretamente. “As pessoas têm ilusões sobre alguns ídolos, mas é hora de verem a verdade”, disse.

Confira abaixo, em português, a íntegra do texto contido no panfleto distribuído pelos manifestantes em Nova Iorque.

2 de março de 2018

Caro Participante da Conferência Americas Society / COA,

O Comitê Defend Democracy in Brazil, que em 2017 expôs pela primeira vez * nos Estados Unidos a falácia do juiz Sérgio Moro com a operação Lava Jato, agora expõe as imoralidades e ilegalidades do mesmo juiz Sérgio Moro e do ex-procurador-geral Rodrigo Janot, e denuncia o apoio da Americas Society/ / Conselho das Américas à destruição da democracia no Brasil. Favor ler mais informações no final do texto. **

A Americas Society/COA desempenhou um papel fundamental na manipulação do judiciário e da política no Brasil e na América do Sul e agora está oferecendo uma conferência para promover sua agenda sob o disfarce de uma “Batalha da América Latina contra a Corrupção”, também chamada de “cruzada anti-corrupção “. A conferência de 2017 na Universidade de Columbia desejava abordar os “efeitos da Operação Lava Jato no Brasil, quadro jurídico atual e futuro”, assim como a conferência de hoje, ambos tendo a Lava Jato com um resultado positivo.

Bem, os efeitos reais agora são claramente vistos: e eles são devastadores. Mais de 24,5 milhões de pessoas caíram para abaixo da linha de pobreza desde que a legítima Presidente Rousseff foi retirada, como parte desta Operação; a atual intervenção militar no Rio de Janeiro está visando a população negra mais pobre, sem nenhum motivo; e Lula, o candidato presidencial brasileiro favorito na eleição de 2018, foi condenado pelo juiz Sérgio Moro em um dos piores julgamentos politicamente motivados a serem registrados na história judicial, fazendo uso de Lawfare e sem qualquer evidência contra o réu. Estes são para mencionar apenas algumas, principais, conseqüências desta cruzada falsa.

Em 2017, já assinalamos que as ações do juiz Sergio Moro foram denunciadas tanto no Brasil quanto em todo o mundo em 2016, 2017. Agora em 2018. Legisladores americanos se dirigiram ao embaixador do Brasil para os EUA, em 2017 e 2018 denunciando os perigos e graves consequências de suas ações.

O atual governo no poder no Brasil é ilegítimo e assumiu o poder através de forças econômicas que os membros do AS / COA representam, e não através de meios democráticos. Sem um governo democrático sólido, não há possibilidade de estabilidade econômica ou sustentabilidade e prosperidade para todos os brasileiros. O gabinete ilegítimo foi responsável por cortes de programas sociais, assalto aos direitos humanos, rescisão de programas da saúde e de habitação mais necessários, uma taxa de desemprego que atingiu 12,7%, para mencionar apenas alguns, não tendo portanto interesse no crescimento econômico real.

Seja qual for o investimento que os grupos representados pela AS/COA façam, será insustentável e contribuirá para aumentar as violações dos direitos humanos, que já são um escândalo mundial. A história já nos ensinou o suficiente.

Anexamos alguma literatura para fornecer uma pequena vista desses cenários, com exemplos do que está descrito acima. Também incluímos algumas perguntas para ajudá-los a imaginar ainda o que os defensores desta falsa luta antidemocrática, que vem sendo chamada de “luta contra a corrupção” estão realmente objetivando. Nós dizemos “imaginar” porque nenhuma resposta real, plausível, social e democraticamente aceitável dessas questões sairá dos palestrantes ou moderadores desta conferência. O juiz Sérgio Moro, Rodrigo Janot, entre outros, juntamente com AS/COA, não podem representar uma luta contra a corrupção. Eles são corrupção.

A principal questão para você, participante, é:
“Como pessoas extremamente corrompidas liderariam uma batalha anticorrupção? “

Pense de novo. Escolha o que é certo. Desenvolvimento sustentável e mudanças positivas podem coexistir.

Sinceramente,

Defend Democracy in Brazil
Email: [email protected]

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum