Eleição no Chile: Ônibus somem em Santiago e apoiadores de Boric denunciam golpismo

Urnas foram fechadas no Chile às 18h; expectativa é que o resultado da disputa entre Boric e Kast, o "Bolsonaro chileno", seja conhecido às 20h

Publicidade

A população do Chile foi surpreendida neste domingo (19), dia do segundo turno da eleição presidencial, com um sumiço nas linhas de ônibus na Região Metropolitana de Santiago. Denúncias apontam para uma queda de 50% na frota. A situação, que prejudica principalmente o candidato de esquerda Gabriel Boric, foi vista como uma tentativa do governo de Sebatián Piñera de influenciar no resultado da eleição em favor do candidato de extrema-direita José Antonio Kast, o “Bolsonaro chileno”.

Desde cedo, explodiram nas redes e nos meios de comunicação locais denúncias de moradores sobre a ausência de ônibus nas ruas. A redução da frota alarmou até mesmo o Serviço Eleitoral do Chile (Servel), que emitiu nota após um encontro com o Ministério dos Transportes do governo Piñera. O Servel conclamou a população a votar: “A votação é rápida e, portanto, não há grandes filas nas seções eleitorais”.

Publicidade

A redução na frota de ônibus foi mais visível na periferia da Regiâo Metropolitana de Santiago, onde Boric registra sua maior margem de vantagem sobre Kast. Em um país de voto facultativo e alta abstenção, a ausência de transporte faz a mobilização para votação diminuir ainda mais.

Pesquisas não-oficiais divulgadas no últimos dias colocavam a disputa bastante acirrada entre os dois canidatos, então qualquer alteração no número de votantes pode impactar no resultado final.

Publicidade
Publicidade

Por conta disso, apoiadores de Boric apontaram nas redes sociais que o governo Piñera estaria trabalhando de forma golpista para garantir o triunfo de Kast. O candidato de extrema-direita se aproximou ainda mais do atual governo durante o segundo turno. O governo negou que tenha orientado a redução na frota.

“O boicote é descarado. Disseram que haveria um reforço no transporte para a votação. Hoje vemos terminais cheios de ônibus e pontos de ônibus lotados de pessoas esperando para votar”, escreveu Daniel Jadue, prefeito de Recoleta. Jadue foi o pré-candidato do Partido Comunista do Chile na coalizão de Boric. O dirigente comunista ainda utilizou a hashtag #SueltenLasMicros (Liberem os ônibus), que bombou nas redes.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista, Claudio Orrego, governador de Santiago, apontou que o governo Piñera teria sido negligente.

A falta de ônibus provocou uma mobilização de progressistas com caronas solidárias. Algumas comunas de Santiago, como Recoleta, garantiram ônibus gratuitos.

Publicidade

A votação terminou oficialmente às 18h de Brasília. Quem ficou nas filas ainda pode votar. É esperado que o resultado seja conhecido já às 20h.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global