Entrevista exclusiva com Lula
23 de outubro de 2019, 10h10

Ernesto Araújo e diplomacia de Bolsonaro anteciparam tentativa de golpe da direita na Bolívia

Na madrugada desta quarta-feira (23), antes da entrevista coletiva em que Evo Morales denunciou a tentativa de golpe de Estado "pela direita, com apoio internacional", Araújo compartilhou tuíte do Itamaraty que levanta suspeitas sobre o resultado eleitoral na Bolívia

Evo Morales, Eduardo Bolsonaro e Ernesto Araújo (Montagem)

Parte do conluio internacional capitaneado por Steve Bannon para impor governo ultraconservadores de direita pelo mundo, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo antecipou pelo Twitter a tentativa de golpe de Estado denunciada nesta quarta-feira (23) pelo presidente reeleito da Bolívia, Evo Morales.

Usando um tuíte do perfil oficial do Itamaraty na rede social, Ernesto Araújo compartilhou na segunda-feira (21) que havia “preocupação” com “a interrupção imprevista da apuração e a falta de resposta das autoridades eleitorais bolivianas aos pedidos de esclarecimento da OEA”.

Em outro tuíte do ministério, o chanceler de Jair Bolsonaro ressaltou que o “Brasil espera que o processo de apuração tenha continuidade dentro das regras estabelecidas, com transparência e lisura”.

Na madrugada desta quarta-feira (23), antes da entrevista coletiva em que Evo Morales denunciou a tentativa de golpe de Estado “pela direita, com apoio internacional”, Araújo compartilhou tuíte do Itamaraty que levanta suspeitas sobre o resultado eleitoral na Bolívia.

“Diante dos profundos questionamentos e dúvidas sobre os números da eleição na Bolívia, o Brasil apoia integralmente a proposta do Sec.-Geral @Almagro_OEA2015 de ampla verificação da integridade do processo eleitoral boliviano, com compromisso de q as conclusões sejam vinculantes”, tuitou.

Morales, denunciou na manhã desta quarta-feira (23) que a direita tenta dar um golpe de estado no país. “Denuncio ante o povo boliviano: está em processo um golpe de Estado. Ele foi preparado pela direita, com apoio internacional. Até agora temos aguentado e suportado com paciência para evitar violência”, declarou Evo.

O presidente boliviano ressaltou que “não estamos em tempos de colônia” e prometeu defender a democracia.

“Vamos defender a democracia, o povo organizado recuperou a democracia. Quero dizer à direita boliviana, não sejam responsáveis pelo enfrentamento boliviano, não semeiem o ódio. Somos todos uma grande família”, acrescentou.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum