Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
03 de junho de 2019, 14h54

Estados Unidos chantageiam para tentar proibir empresas europeias de fabricarem armamentos

Segundo documentação obtida pelo diário espanhol El País, o governo de Donald Trump chegou ao ponto de ameaçar com “abandonar” a Europa e deixá-la à mercês das ameaças da Rússia, caso não siga suas recomendações

Donald Trump (Foto: Arquivo)

Nas últimas semanas, o governo dos Estados Unidos vem aumentando a pressão sobre seus sócios europeus para que o continente reveja as diretrizes da sua política de defesa, de forma a adaptá-la melhor aos interesses do seu país.

Entre outras coisas, a Casa Branca exige participar nos projetos que envolva a compra e desenvolvimento de armamento, enquanto Bruxelas tenta resistir a essa opção, com o temor de que seus países possam ser prejudicados pelas principais leis norte-americanas de exportação de material militar.

Segundo documentação obtida pelo diário espanhol El País, o governo de Donald Trump chegou ao ponto de ameaçar com “abandonar” a Europa e deixá-la à mercês das ameaças da Rússia, caso não siga suas recomendações.

“Quando ocorrer uma crise e se suas defesas fracassarem, sua população não ficará muito impressionada pelo fato de que o armamento adquirido foi somente dos países europeus”, teria advertido Michael Murphy, principal assessor de Trump para assuntos ligados à Europa, durante um explosivo encontro entre representantes das duas partes, que teria ocorrido em Washington, no dia 22 de maio, segundo os documentos acessados pelo diário espanhol.

Até o momento, a resposta de Bruxelas seria a de fazer as alterações paulatinamente. No último trimestre de 2018, a União Europeia apresentou o rascunho de um projeto para flexibilizar as normas e facilitar a participação de outros países na fabricação de armamentos utilizados no continente. Contudo, neste início de 2019, o texto voltou a endurecer as regras, e foram introduzidas as cláusulas que desagradaram Murphy teria chamado e a administração estadunidenses. Desde então, as ameaças de Washington a respeito passam por represálias que incluiriam a restrição do acesso das empresas europeias ao seu mercado militar, entre outras.

Com informações do El País.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum