Estudante mata ao menos oito em atentado em universidade na Rússia; veja vídeo

Alunos fizeram barricadas para se proteger; pessoas pularam das janelas para escapar dos tiros

Um estudante de 18 anos abriu fogo na manhã desta segunda-feira (20), contra a universidade Estadual de Perm, na Rússia, matando ao menos oito pessoas e deixando vários feridos. Durante o ocorrido, várias pessoas pularam das janelas, como pode ser visto no vídeo abaixo:

O Comitê Investigativo da Rússia, órgão destinado à análise de crimes graves, informou que o atirador está vivo e recebendo tratamento em um hospital. Uma porta-voz da universidade, alvo do ataque, divulgou comunicado afirmando erradamente que o criminoso, identificado como um aluno da instituição, havia sido “liquidado”.

Sobreviventes disseram à agência de notícias Reuters que, em algumas salas de aula, os estudantes montaram barricadas com cadeiras para impedir a entrada do atirador. “Havia cerca de 60 pessoas na sala de aula. Fechamos a porta e a bloqueamos com cadeiras”, disse o estudante Semyon Karyakin à Reuters.

Identificado como um estudante de 18 anos, o atirador havia publicado uma foto em suas redes sociais posando com um fuzil, usando um capacete e exibindo munições.

“Eu pensei nisso por muito tempo, já se passaram anos e percebi que havia chegado a hora de fazer o que sonhei”, diz outra publicação atribuída ao atirador. Ele indicou que suas ações não tinham nada a ver com política e religião, e teriam sido motivadas pelo ódio.

Tags:

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR