Evo Morales denuncia consumação do golpe de Estado com autoproclamação de senadora de direita

"O golpe se consuma com o sangue de irmãos mortos pelas forças policiais e militares usadas para o golpe", denunciou o ex-presidente Evo Morales, derrubado por um golpe de Estado

Evo Morales, presidente da Bolívia derrubado por um golpe de Estado, comentou a autoproclamação da senadora Janine Añez e afirmou que agora o golpe foi consumado. Morales denunciou que a atitude de Añez, que se proclamou presidenta em uma sessão do Senado sem quórum, é uma violação à Constituição da Bolívia.

“O golpe mais astuto e desastroso da história foi consumado. Uma senadora golpista de direita se autoproclama presidenta do senado e depois presidente interina da Bolívia sem um quorum legislativo, cercada por um grupo de cúmplices e apoiada pelas Forças Armadas e pela Polícia que reprimem o povo”. declarou Morales.

Em seguida, o ex-líder sindical denunciou o rompimento da Constituição. “Eu denuncio à comunidade internacional que o ato de autoproclamação de uma senadora como presidente viola o Constituição Política de Estado da Bolívia e as regras internas da Assembléia Legislativa. O golpe se consuma com o sangue de irmãos mortos pelas forças policiais e militares usadas para o golpe”, disse.

Autoproclamação

A senadora Jeanine Añez era a segunda vice-presidenta do Senado e tomou a presidência da casa legislativa após a renúncia dos demais senadores, ameaçados pelo golpistas, que queimaram casas e sequestraram parentes de lideranças do MAS. Añez convocou sessão na tarde desta terça-feira, mas não garantiu, junto às Forças Armadas, a segurança de nenhum dos legisladores massistas.

 

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR