Fórumcast #20
14 de março de 2018, 11h28

Exilados começam a voltar para Cuba atrás de sistema de saúde e bem-estar social

Artigo de Marcelo Rubens Paiva intitulado ‘Volta pra Cuba’ diz que aumenta cada vez mais o número de cubanos que voltam para a Ilha

Artigo do escritor Marcelo Rubens Paiva, publicado no Estadão desta quarta-feira (14), dá conta que, segundo o governo cubano, em torno de 13 mil exilados pediram repatriação em 2017. E número não para de crescer.

O que mais tem atraído os exilados, de acordo com Marcelo, é o sistema de saúde do regime comunista cubano. E o governo incentiva a volta.

O escritor lembra ainda que “o incentivo ao retorno é um dos projetos da nova reforma de imigração proposta por Raúl Castro em 2013 e resultado do afrouxamento da relação entre os dois países, promovida por Obama”.

“Cubanos que retornam também podem levar produtos livres de importação. O que os leva a experimentar o ofício de sacoleiro e oferecer remédios e produtos que faltam aos cubanos e parentes.”

Cubanos que queiram voltar devem procurar os consulados e pedir a repatriação.

As histórias de repatriação têm saído no insuspeito jornal Miami Herald, lido pela comunidade de exilados cubanos da Flórida. Vários personagens revelam solidão, doenças terminais e falta de apoio a cubanos idosos que moram nos EUA.

Veja também:  Blogueira que comemorou morte de neto de Lula pede dinheiro nas redes para se defender de processo

Nem todos, no entanto, podem voltar, conforme lembra Rubens Paiva. “Ofelia Acevedo, que mora em Miami, viúva do ativista Oswaldo Payá, teve o visto proibido. Payá, que tentou reformar a constituição cubana, fundou um partido católico e o Internacional Democrata de Centro, na ilha, morreu de forma suspeita num acidente de carro em 2012”.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum