Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de agosto de 2019, 18h41

Filho de Alberto Fernández faz sucesso como drag na Argentina

Enquanto no Brasil os filhos de Bolsonaro constroem uma carreira política arrastados pelo pai, o filho do presidenciável argentino é aclamado como Dyhzy

Reprodução/Instagram

Enquanto os três filhos mais velhos do presidente Jair Bolsonaro mantém uma carreira ligada à política por influência do pai, o filho do candidato à presidência da Argentina Alberto Fernández, Estanislao Fernández, é famoso na cena de Buenos Aires por suas performances como a drag Dyhzy.

Dyhzy, que começou a se montar como cosplayer de desenhos japoneses, ganhou os holofotes logo quando Alberto foi anunciado como candidato na chapa da ex-presidenta Cristina Kirchner. Em entrevista ao canal “TodoNotícias”, em junho, chegou a dizer que “não era nem kirchnerista, nem peronista”, apesar de considerar Cristina e o ex-presidente Néstor Kirchner como “tios”.

Alberto foi chefe de gabinete tanto de Néstor quanto da sua atual companheira de chapa e mantinha uma relação bem próxima com os K. Apesar de ter rompido com Cristina, nunca se afastou do peronismo e resolveu se reconciliar com Cristina para criar uma unidade capaz de derrotar Macri. Os resultados das eleições prévias, no domingo, mostram que a parceria parece estar dando certo.

Apesar de fugir do rótulo de peronista e de não se envolver no processo eleitoral, Dyhzy embarcou na campanha nos últimos dias. Pelo Twitter, critica o atual governo, ironiza o preço do dólar, que teria disparado por causa de Alberto, e responde a detratores que o atacam por ser LGBT.

Pela rede social, publicou uma mensagem comemorando o resultado obtido por seu pai (“V O L V E M O S”, em português, voltamos) e ainda vitória eleitoral de Axel Kicillof, candidato kirchnerista ao governo da província de Buenos Aires, que obteve 52% dos votos nas prévias.

Estanislao esteve no palanque da Frente de Todos durante o discurso de Alberto. O presidenciável dedicou a vitória ao futuro da Argentina, principalmente aos jovens do país e ao seu filho. Dyhzy chegou a fechar sua conta no Instagram por conta de ataques homofóbicos.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum