O que o brasileiro pensa?
10 de junho de 2020, 15h39

Grupo de Puebla pede para OEA validar vitória eleitoral de Evo Morales em outubro passado

Apelo se baseia em um novo informe, o terceiro que desmente a auditoria sobre que a eleição teria sido fraudada, e que foi usada como justificativa do golpe de Estado civil-militar de novembro de 2019, que levou a ditadora Jeanine Áñez ao poder

Reunião do Grupo de Puebla (foto: reprodução)

O Grupo Puebla, aliança entre partidos e organizações progressistas da América Latina e do Caribe, divulgou uma declaração nesta quarta-feira (10), na qual solicita à OEA (Organização dos Estados Americanos), que mude sua postura e trabalhe para “restaurar a legitimidade democrática na Bolívia”, quebrada após o golpe de Estado contra Evo Morales em novembro de 2019 .

A declaração, divulgada no site do Grupo, expressa sua “preocupação com as novas evidências que esclarecem a declaração apressada e intencional da OEA”. A frase é uma clara alusão à auditoria feita pelo organismo sobre as eleições de outubro, vencidas por Evo Morales no primeiro turno. Nesse estudo, a OEA indicou que houve fraude a favor de Evo durante o processo, o que serviu como justificativa para os golpistas durante os atos que levaram a derrubada do governo democrático.

Através do seu Twitter, Evo Morales agradeceu o apelo do Grupo de Puebla “por defender os princípios da democracia, integração e legitimidade das pessoas que se expressaram nas urnas”, e disse que “o mundo inteiro percebeu que houve um golpe de Estado na Bolívia”.

O Grupo de Puebla é formado por vários ex-presidentes latino-americanos, entre eles dois brasileiros, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, e também com Pepe Mujica (Uruguai), Cristina Kirchner (Argentina), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai) e Ernesto Samper (Colômbia), além do próprio Evo Morales. Também conta com um presidente em exercício, o argentino Alberto Fernández.

A declaração termina com um chamado “ao governo de facto da Bolívia, liderado por Jeanine Áñez, para entregar imediatamente o poder do Estado, devido ao atraso sistemático e inexplicável das eleições no país”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum