Indígenas tomam antenas de TV no Equador em segundo dia de Greve Geral contra Lenín Moreno

Mais de 350 pessoas foram detidas pelo governo de Moreno; polícia estaria usando armas de fogo contra a população e já há relatos de vítimas fatais; confira vídeos

A declaração de estado de exceção por parte do presidente do Equador, Lenín Moreno, não conseguiu parar as fortes manifestações que começaram na quinta-feira contra as políticas de ajuste neoliberal promovidas pelo mandatário, considerado um traidor pela esquerda. No segundo dia de greve geral convocada por trabalhadores, estudantes e movimentos populares, as ruas seguiram mobilizadas e um grupo de cerca de 2000 indígenas tomou antenas de retransmissão na província de Tungurahua. A hashtag #ParoNacionalEcuador também ocupou o topo dos assuntos do momento no Twitter durante todo o dia.

O governo de Tungurahua informou que devido à mobilização dos indígenas na serra Pilisurco, o sinal das antenas teve de ser cortado para televisão e rádio FM. As antenas de Pilisurco alimentam três províncias, segundo o El Comercio: Tungurahua, Cotopaxi e Chimborazo, que reúnem cerca de 1,37 milhão de pessoas segundo o INEC (8% da população).

Segundo informações do governo do Equador, ao menos 350 pessoas, sendo diversas lideranças indígenas e sindicais, foram detidas devido aos protestos após a edição do decreto de estado de exceção. O presidente descartou qualquer revisão do plano econômico, chamando os manifestantes de “agitadores”. Segundo o analista Amauri Chamorro, essa insistência pode gerar sua queda.

“Quando eles forem mandatário poderão executar seus planos. No momento de agora sou eu o presidente e tocou a mim tomar decisões, e não exito em fazê-lo”, declarou Moreno, que foi eleito com o apoio de Rafael Correa e depois traiu o ex-presidente.

Segundo manifestantes, policias começaram a usar armas de fogo contra a população e já há registro de mortos devido a repressão do Estado. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) expressou “preocupação com o uso excessivo da força pela polícia no Equador, como evidenciado pelas imagens de repressão aos protestos sociais”. A Cruz Vermelha denunciou que sua equipe foi agredida.

Confira vídeos das manifestações e registros da repressão policial:

https://twitter.com/LEXKANDER/status/1180214433861255169

Publicidade

Publicidade

https://twitter.com/Lurbeth99/status/1180224219038322688

 

 

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR