Fórum Educação
06 de janeiro de 2020, 20h47

Irã cobra governo Bolsonaro por nota em apoio aos EUA

O país persa solicitou uma reunião com a Embaixada do Brasil no Irã para entender a mensagem publicada pelo Itamaraty na sexta-feira

Bolsonaro e Trump (Foto: Alan Santos/PR)

O comunicado publicado pelo Itamaraty respaldando a ação militar comandada pelos Estados Unidos que resultou na morte do general Qassem Soleimani, comandante da Guarda Revolucionária do Irã, gerou questionamentos por parte da diplomacia iraniana nesta segunda-feira (6).

Segundo informações da jornalista Eliane Oliveira, do jornal O Globo, a encarregada de negócios da embaixada do Brasil no Irã, Maria Cristina Lopes, foi acionada para explicar a nota do Itamaraty. “A conversa, cujo teor é reservado e não será comentado pelo Itamaraty, transcorreu com cordialidade, dentro da usual prática diplomática”, disse o Ministério das Relações Exteriores ao jornal.

A posição tomada pelo Itamaraty na sexta-feira foi a de defender o “combate ao terrorismo”, sem comentar diretamente sobre o assassinato do general Qassem Soleimani por parte dos EUA. “Ao tomar conhecimento das ações conduzidas pelos EUA nos últimos dias no Iraque, o Governo brasileiro manifesta seu apoio à luta contra o flagelo do terrorismo e reitera que essa luta requer a cooperação de toda a comunidade internacional sem que se busque qualquer justificativa ou relativização para o terrorismo”, dizia a mensagem.

Nesta segunda, partidos e parlamentares de oposição criticaram a posição do governo Bolsonaro. Segundo o PT, o Brasil “age como vassalo dos Estados Unidos ao apoiar a infame operação e instigar a escalada de guerra”. Para o PCdoB, “é inadmissível que o governo Bolsonaro envolva o Brasil nesta aventura gravíssima”. Deputados de PDT e PSOL também se manifestaram em tom crítico.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum