O que o brasileiro pensa?
24 de fevereiro de 2019, 13h48

Jornalista venezuelano desmonta farsa da mídia e aponta derrota de Guiadó e Trump

O editor da Fórum, Renato Rovai, chega em Caracas, neste domingo, de onde enviará relatos atualizados sobre a situação no país

Foto: Reprodução

Em artigo sobre a crise, publicado neste sábado (23), no site Resumén Latino-Americano, o jornalista venezuelano Carlos Aznárez desmonta as tentativas da mídia internacional de gerar um grande fato no país, com a entrada da propalada “ajuda humanitária”.

Ele afirma “ter chegado o que muitos definiram como o ‘Dia D’, onde o infame boneco chamado Juan Guaidó entraria com todas as honras ao Palácio de Miraflores”, escreveu. Aznárez adverte, no entanto, “que eles fracassaram novamente. Nem na área de fronteira com a Colômbia nem na fronteira com o Brasil e menos ainda na rota marítima. “Também não conseguiram mobilizar estes 600 mil (sic), que havia anunciado Guaidó”.

O que acabou acontecendo, diz o jornalista, “é que a manifestação se limitou a um pequeno grupo agressivo de bandidos contratados”.

Aznárez lembra ainda o incidente do “roubo dos tanques na ponte que conduz a Cúcuta, que terminou com a deserção de um pequeno grupo de guardas que não só passou para o inimigo, mas mostraram um perfil criminoso. Os covardes atacaram dezenas de cercos que fechavam o local, ferindo um cinegrafista chileno e uma policial bolivariana leal”, recorda.

“Mais tarde”, segue o jornalista, “a farsa seria repetida ao tentarem entrar com alguns caminhões com a famosa ‘ajuda’. No momento em que eles rolavam sobre a ponte, foram incendiados por um grupo que jogou gasolina nos veículos enquanto eram filmados e fotografados por muitos repórteres. Mas, como a mídia hegemônica é o violento posto avançado do envenenamento em massa, eles inventaram outra matriz mentirosa, acusando o chavismo de gerar o fogo. Os incendiários seriam os membros da Guarda Nacional Bolivariana, que estava localizada muito, muito longe dos fatos, dos culpados e dessa ação desajeitada”, adverte o jornalista.

A seguir, Aznárez faz uma grave denúncia: “O que eles não dizem é que os bandidos ‘contratados’ pela oposição ligada a Guaidó e protegidos pela polícia colombiana (há vídeos nas redes como prova) se sentiram traídos, pois não foram pagas as ‘taxas’. Assim, uma turba encapuzada e outras pessoas com os rostos à mostra deram uma boa surra nos ‘contratantes’. Foi o caso do deputado Olivares, que levou soco no rosto e na cabeça aos gritos de ‘ladrões, paguem o que prometeram’”, conta.

Aznárez relata que a mídia internacional “também não contou a verdade sobre o que aconteceu no extremo oposto do colombiano da ponte Simon Bolivar, onde milhares se reuniram para defender os patriotas bolivarianos. Eles foram agredidos por pedras, tiros e coquetéis molotov. Algumas das pessoas atacadas fazem parte da lista de 42 feridos, dois deles com balas e três com queimaduras graves”, disse.

O jornalista conta também que “uma ‘onda vermelha’ cobriu a avenida Urdaneta de uma ponta à outra, em Caracas, para ouvir o presidente Nicolás Maduro e mostrou ao mundo que a Venezuela, além de viver em paz e normalidade, conta com milhões de pessoas que estão construindo o escudo que protege esse enorme processo libertador”, disse.

O jornalista anunciou também que, neste domingo (24), delegações de movimentos sociais de todo o mundo vão inaugurar a Assembleia Internacional dos Povos.

“Entre eles podem ser vistos sul-africanos da união NUMSA dos metalúrgicos, que dançam suas danças se apoio à Venezuela, ao lado de brasileiros que gritam ‘Lula Livre’, argentinos protestando contra Macri e até mesmo um jovem basco abraçado às suas bandeiras nacionais. Uma festa na cidade, que comemorou mais uma vitória contra esta nova tentativa do império mais terrorista que a humanidade já sofreu”, encerra.

O editor da Fórum, Renato Rovai, chega em Caracas, neste domingo (24), de onde enviará relatos atualizados sobre a situação no país.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum