Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
21 de julho de 2019, 21h53

Leyen é a aposta de defensores da União Europeia para bloco seguir vivo

A alemã Ursula von der Leyen será a primeira mulher a liderar o grupo e assume em um contexto de desafios marcados principalmente pelo crescimento de ultranacionalistas eurocéticos

(Foto: François Lenoir/Reuters)

Ursula von der Leyen tem 60 anos e integrou por 14 anos o governo de Angela Merkel, onde assumiu cargos como secretária das Mulheres, Família e Saúde, ministra de Família, do Trabalho foi a primeira mulher ministra da Defesa da Alemanha. Com formação em Medicina e Economia, Leyen encara agora a missão de liderar a União Europeia (UE), em uma fase complicada do grupo, em que passa por muitas mudanças e até mesmo a sua existência vem sendo questionada por alguns países ultranacionalistas europeias.

A alemã foi eleita no último 16 de julho como a próxima presidente da Comissão Europeia, órgão crucial do bloco. Possui orientação política de centro-direita conservadora, mas dentre suas principais diretrizes para o mandato estão pautas que podem ser consideradas progressistas, como a defesa da igualdade de gênero.

Leyen promete formar sua equipe de 28 comissários com composição de 50% mulheres e 50% homens. Além disso, a líder pretende levantar a bandeira de uma agenda ambiental, com o objetivo de zerar a emissão de carbono da região até 2050.

A próxima presidente também pretende alterar as regras sobre migração, com mais divisão de responsabilidades entre os Estados-membros sobre refugiados e imigrantes irregulares, e investir na área de defesa do bloco.

União Europeia

Atualmente, 28 países compõem a União Europeia, incluindo o Reino Unido, que está em processo de saída. A formação do bloco político-econômico é encabeçado pela Comissão Europeia, que funciona como órgão executivo e é responsável pela gestão, representação diplomática no exterior e fiscalização dos países-membros. Já o Conselho Europeu representa o comando político do bloco e é formado por chefes de Estado ou de governo de todos os países-membros.

Enquanto isso, o Parlamento Europeu representa os cidadãos dos países que fazem parte do bloco, por isso debate, vota e adota as leis da UE, assim como participa da decisão sobre o orçamento do bloco.

* Com informações do Nexo. Leia a matéria completa no site.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum