Líder da Federação de Mineiros da Bolívia é internado em La Paz após sofrer atentado

Mídia local e sindicato afirmam que Orlando Gutiérrez foi agredido por opositores do MAS. Advogada já havia pedido proteção a ele em comissão internacional

O secretário executivo da Federação Sindical de Trabalhadores Mineiros da Bolívia (FSTMB), Orlando Gutiérrez, foi internado na clínica Cemes, na capital La Paz, após sofrer um atentado nesta sexta-feira (23). Segundo o jornal boliviano La Razón, as agressões partiram de um grupo de pessoas que fazem oposição ao MAS, partido de Evo Morales e do novo presidente eleito do país, Luis Arce. O estado de saúde do líder sindical ainda não foi revelado oficialmente.

A advogada de Gutiérrez, Nadesha Guevara, informou à rede de televisão ATB, de La Paz, que a clínica não permitiu sua entrada para verificar o estado de saúde de seu cliente. “Precisamos de avaliações médicas forenses, podemos estar diante de um possível crime e precisamos tomar todas as medidas judiciais cabíveis neste momento”, disse.

Ela afirmou ainda que, há dois meses, chegou a pedir medidas cautelares ao líder sindical na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), pois Gutiérrez sofria “constantes ameaças de morte”.

Em nota, a FSTMB confirma que o secretário foi atacado e diz que ele está “gravemente ferido”. De acordo com a federação, o atentado ocorreu por conta da luta de Gutiérrez contra o “regime de ditadura do governo antipopular de transição” da Bolívia, em referência ao governo da ditadora Jeanine Añez.

“Gutiérrez e sua família receberam muitas ameaças de morte nas redes sociais por parte da direita, que ao se verem derrotados nas urnas na eleição do domingo de 18 de outubro, em seu desespero recorrem a esta atitude de violência totalmente antidemocrática, agredindo covardemente ao nosso companheiro dirigente”, prossegue a nota.

Confira a nota completa:

https://twitter.com/MallorcaMas/status/1319674223036715008/photo/1
Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.