Líder da Federação de Mineiros da Bolívia morre após atentado de opositores ao MAS

Nas redes, Evo Morales e Luis Arce lamentaram a morte de Orlando Gutiérrez. Ele estava internado em La Paz desde a semana passada por conta do ataque fascista

O secretário executivo da Federação Sindical de Trabalhadores Mineiros da Bolívia (FSTMB), Orlando Gutiérrez, faleceu nesta quarta-feira (28) após sofrer um atentado na última semana. Diversos jornais locais, como o La Razón, atribuíram a autoria do atentado a um grupo de pessoas que fazem oposição ao MAS, partido de Evo Morales e do novo presidente eleito do país, Luis Arce.

A FSTMB também havia atribuído o ataque aos opositores da luta de Gutiérrez contra o “regime de ditadura do governo antipopular de transição” da Bolívia, em referência ao governo da ditadora Jeanine Añez.

Tanto Luis Arce quanto Evo Morales foram às redes sociais para lamentar a morte de Gutiérrez. “Expresso meu profundo pesar pela partida física do irmão Carlos Orlando Gutiérrez Luna (Q.E.P.D.). Grande dirigente mineiro que sempre defendeu os interesses do povo boliviano. Minha solidariedade com a família neste difícil momento, os acompanhamos em sua dor”, escreveu Arce no Twitter.

“Com profunda dor, tomei conhecimento sobre o falecimento do companheiro Orlando Gutiérrez, um jovem, valente e comprometido dirigente mineiro da histórica FSTMB e militante do ‘Proceso de Cambio’. Meus pêsames e solidariedade com sua família”, afirmou Evo Morales na mesma rede social.

Quando Gutiérrez foi internado em La Paz após o atentado, na última sexta-feira (23), a advogada Nadesha Guevara afirmou à imprensa local que chegou a pedir medidas cautelares a ele na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), pois o líder sindical sofria “constantes ameaças de morte”.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.