O que o brasileiro pensa?
24 de junho de 2020, 20h43

Maduro diz que aceitaria submeter seu cargo a referendo em 2022

Presidente venezuelano afirmou que “se a oposição reunir as assinaturas suficientes, não há problema”. Mecanismo do referendo de revogação do mandato existe na Constituição do país graças a Hugo Chávez e o próprio ex-presidente já o enfrentou – e saiu vitorioso

Foto: Divulgação/Presidência da Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta quarta-feira (24) que está disposto a submeter seu cargo a um referendo de revogação em janeiro de 2022, após cumprir metade do seu mandato atual. A declaração aconteceu em meio à celebração do Dia do Exército no país.

“Em 2022, em 10 de janeiro, abre-se o período para quem quiser recolher as assinaturas para convocar um referendo contra o presidente, e (a oposição) tem a liberdade de sair às ruas e pedir as assinaturas das pessoas, e se tiverem a quantidade suficiente, exigida pela Constituição para um referendo de revogação de mandato, claro que nós iremos a um referendo, e nos medirmos nas urnas”, afirmou o presidente.

Durante seu discurso, o chefe de Estado acrescentou que a decisão será dos cidadãos e não a “um punhado de líderes do golpe, ou do governo dos Estados Unidos”.

“Na Venezuela, quem decide, quem coloca e quem remove é o povo soberano através do voto. Não há Donald Trump, nem há Joe Biden. Os homens e mulheres, venezuelanos e venezuelanas, são os que decidem”, reforçou Maduro.

O mecanismo do referendo de revogação do mandato existe na Constituição da Venezuela desde a criação da atual carta magna, que foi promovida pelo ex-presidente Hugo Chávez. Até então, os presidentes do país tinham mandato de apenas 4 anos, e a partir de então, esse mandato passou a ser de 6 anos, com a possibilidade de um referendo de revogação na metade do mandato, ou seja, após 3 anos – no caso do atual mandato de Maduro, que começou em janeiro de 2019 e vai até janeiro de 2025, isso seria em janeiro de 2022.

Desde a criação dessa ferramenta, o único referendo de revogação realizado na Venezuela foi em 2004, justamente contra o seu criador, Hugo Chávez, após a metade do seu primeiro mandato. Na ocasião, 59,3% dos votos decidiram pela continuidade de Chávez no cargo.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum