Fórumcast #20
13 de agosto de 2019, 16h46

Moro e Bolsonaro permitem que FBI cace suposto membro da Al-Qaeda no Brasil

Segundo a polícia federal norte-americana, o homem se chama Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim e é investigado sobre o “papel que supostamente desempenhou como agente e facilitador” da organização de Osama bin Laden

Foto: Divulgação/FBI/Ansa - Brasil

Com o aval de Jair Bolsonaro e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, o FBI, polícia federal dos Estados Unidos, está procurando no Brasil um homem, de origem egípcia, supostamente integrante da rede Al-Qaeda.

Conforme divulgado pelos norte-americanos, o homem se chama Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim e tem 42 anos de idade.

Ibrahim é investigado com o objetivo de ser detido e interrogado a respeito do “papel que supostamente desempenhou como agente e facilitador” da organização fundada por Osama bin Laden.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

“Ele esteve, supostamente, envolvido no planejamento de ataques contra os Estados Unidos e seus interesses, e no fornecimento de apoio material para Al Qaeda desde, aproximadamente, 2013”, anunciou o FBI.

“Armado e perigoso”

Os norte-americanos alertaram que o homem “deve ser considerado armado e perigoso, e que informações devem ser repassadas a uma embaixada ou consulado dos EUA.
Em nota, o governo brasileiro disse que Ibrahim chegou ao Brasil em 2018 e conseguiu autorização para residir no país.

Veja também:  Caso Queiroz: Bolsonaro pediu a demissão de superintendente da PF no RJ

“O governo brasileiro está aberto a cooperar com as autoridades norte-americanas no que for solicitado, nos termos de nossa legislação, e está acompanhando o caso”, afirmou a nota.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum