Fórumcast, o podcast da Fórum
03 de junho de 2019, 21h35

Morrissey afirma que o Reino Unido é uma nova União Soviética e defende direita

Até a loja de discos mais antiga do mundo resolveu boicotar o artista pelos seus posicionamentos

Foto: Reprodução/YouTube/Larry King

Assim como no Brasil, astros do rock da década de 1980 se mostram cada vez mais reacionários, conservadores e defendem abertamente partidos de extrema direita. Quem cumpre esse papel no Reino Unido é Morrissey, ex-vocalista da banda “The Smiths”. O músico tem acusado a imprensa de boicotar seu mais recente trabalho por motivações políticas e influenciar negativamente seu público.

As primeiras críticas ocorreram quando o artista apareceu na TV usando um broche do partido de direita “For Britain”, que defende, entre outras coisas, o banimento da entrada de estrangeiros em países da Grã-Bretanha. O cantor aponta o jornal “The Guardian” como a principal fonte de ataques que vem sofrendo. Em seu site ele diz que a publicação conta uma série de mentiras.

“Por causa da exaustiva campanha de ódio movida contra mim pelo “The Guardian” e seus seguidores, fico feliz com a posição de “California Son” nas paradas do Reino Unido. Vale a pena prestar atenção no fato de que o principal antagonista nesta Campanha de Ódio é alguem que processei há anos por escrever mentiras sobre mim. Ele perdeu o processo, e agora busca vingança pessoal usando o jornal, que tem assediado todo mundo que tem contato com minha música, implorando para que eles digam algo terrível sobre mim para poderem divulgar”, afirmou.

Outra das atitudes de Morrissey que se assemelham a de roqueiros brasileiros é acreditar que seu país, em algum momento, se tornou ou corre o risco de virar um país com viés comunista. “Isso é a cara da Britânica Soviética. Por favor, não comprem esse jornal de ódio, em que cada chamada em 2019 ecoa as palavras da falecida Mary Whitehouse [ativista britânica]. Porque essa é a voz de tudo que tem de ruim e triste na nova Bretanha”, continuou no texto.

O posicionamento político do ex-The Smiths fez que ele recebesse várias críticas de fãs e a loja de discos mais tradicional do Reino Unido, e mais antiga do mundo, decidiu deixar de vender os discos do cantor que estavam em seu catálogo. “Eu estou chateado, mas não realmente surpreso que a “Spillers” não vai mais receber os lançamentos do Morrissey. Eu só queria ter feito isso antes”, afirmou o atual dono da loja Ashli Todd, ao “Wales Online”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum