Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de dezembro de 2019, 19h15

Mujica viaja ao México e encontra Evo Morales

O ex-presidente uruguaio se reuniu pela primeira vez com o líder boliviano desde o golpe de Estado na Bolívia

Reprodução/Twitter

O ex-presidente e senador eleito do Uruguai, José Pepe Mujica, foi ao México nesta segunda-feira (2) para encontrar  Evo Morales, presidente da Bolívia derrubado por um golpe de Estado no último mês.

“Recebi a visita do irmão Pepe Mujica, ex-presidente do Uruguai e incansável lutador social pela dignidade de nossos povos. Agradeço sua solidariedade com a nossa querida Bolivia nestes momentos”, publicou Morales em suas redes sociais.

Antes do encontro, Mujica participou do ato de 1 ano de governo do presidente Andrés Manuel López Obrador, do México. No comício, o mexicano falou sobre seus feitos no país e, pela primeira vez, declarou publicamente que a Bolívia sofreu um golpe. “Evo foi vítima de um golpe de Estado! Do México para o mundo sustentamos: democracia sim, militarismo não!”, disse Obrador.

O uruguaio ainda participou de um conferência na Universidade Iberoamericana da Cidade do México, onde recebeu título de doutor honoris causa, e vai conduzir uma palestra durante o encontro latino-americano “México ante os extremismos: o valor da cultura ante o ódio”, na terça-feira.

Uruguai

Apesar de ter se dedicado integralmente nos últimos dias para as eleições presidenciais do Uruguai, que elegeram o direitista Luis Lacalle Pou à presidência após 15 anos de governos da Frente Ampla, Mujica não deixou de condenar o processo de derrocada de Morales e ascensão da autoproclamada Jeanine Añez.

Um dia após a queda do líder sindical cocaleiro, em 11 de novembro, o ex-tupamaro já havia alçado a voz afirmando que não tinha dúvidas que Morales havia sofrido um golpe. Dias depois, ele enviou carta à Añez pedindo o fim à repressão contra movimentos sociais. Segundo a Defensoria Pública, 34 pessoas morreram em decorrência dos conflitos no país.

Almagro

Um dos considerados promotores da derrubada do presidente boliviano é Luis Almagro, secretário-geral da OEA e ex-ministro das Relações Exteriores do governo Mujica. Indicado pelo ex-tupamaro para a condução da organização, Almagro é visto como um traidor pela Frente Ampla. Ele foi expulso do movimento a pedido de Mujica em 2016.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum