NASA calcula forte redução da contaminação atmosférica em 2020 devido ao isolamento social

Baseada em imagens captadas por satélites, a agência espacial estadunidense afirma que houve uma queda significativa da presença de poluentes em muitas das cidades mais populosas do planeta

Pesquisadores da NASA (sigla em inglês da Agência Espacial dos Estados Unidos) mostraram, por meio de imagens captadas por satélites, que a atmosfera da Terra experimentou uma redução significativa da presença de partículas poluentes na atmosfera.

Segundo fotos divulgadas nesta terça-feira (17), foi possível detectar menores concentrações atmosféricas de dióxido de nitrogênio e dióxido de carbono durante 2020, em comparação com o mesmo período outubro-novembro dos anos de 2018 e 2019.

Os cientistas consideram que tal situação, observada especialmente nas grandes cidades, foi um dos resultados das medidas de isolamento social adotadas por diversos governos, em função da pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, causador da infecção covid-19.

Entre as 61 grandes metrópoles mundiais analisadas pelo estudo, 50 apresentaram uma queda na quantidade de partículas, variando entre 20% e 60%. A análise também indica que a queda a nível mundial foi cerca de 26%.

A NASA também apontou as cidades de Wuhan (China) e Milão (Itália) como as campeãs em redução de partículas poluentes, ambas com 60%. Entre as 5 cidades estadunidenses analisadas, a que mostrou melhor resultado foi Nova York, que registrou queda de 45% na emissão de partículas.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).