Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
10 de março de 2019, 16h35

NYT: aliados de Guaidó incendiaram caminhões com “ajuda humanitária”; governo dos EUA muda discurso

Outra mentira propagada pelo governo dos EUA, segundo a reportagem, é sobre o envio de medicamentos. Consultada, a Agência estadunidense para o Desenvolvimento Internacional, o principal fornecedor da ajuda, não listou remédios entre as doações

Imagens analisadas pelo NYT mostram que oposição venezuelana incendiou caminhões (Reprodução)

Reportagem de Nicholas Casey, Christoph Koettl e Deborah Acosta, na edição deste domingo (10) do The New York Times, desmente a acusação do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, que acusou as forças de Nicolás Maduro de queimar alimentos e remédios nos incêndios a caminhões que estariam levando “ajuda humanitária” à Venezuela.

Segundo vídeos obtidos e analisados pelo jornal – incluindo imagens divulgadas pelo governo colombiano, que culpou Maduro pelo incêndio -, um coquetel Molotov lançado por um manifestante aliado ao oposicionista Juan Guaidó foi o gatilho mais provável para o incêndio. (Assista aos vídeos)

“Em um ponto, uma bomba caseira feita de uma garrafa é lançada contra a polícia, que estava bloqueando uma ponte que ligava a Colômbia e a Venezuela para evitar que os caminhões de ajuda passassem. Mas o pano usado para acender o coquetel Molotov se separa da garrafa, voando em direção ao caminhão de primeiros socorros. Meio minuto depois, o caminhão está em chamas”, relata a reportagem.

Segundo os jornalistas, o mesmo manifestante pode ser visto 20 minutos antes, em um vídeo diferente, atingindo outro caminhão com um coquetel Molotov, sem incendiá-lo.

As imagens contrariam Pence – e aliados dos Estados Unidos, como o governo Jair Bolsonaro -, que escreveu que “o tirano em Caracas dançou” enquanto seus capangas “queimavam alimentos e remédios”.

John R. Bolton, assessor de segurança nacional do presidente Donald Trump, também foi desmascarado com as imagens. “Maduro mentiu sobre a crise humanitária na Venezuela, ele contrata criminosos para queimar alimentos e remédios destinados ao povo venezuelano”, tuitou Bolton.

Outra mentira propagada pelo governo dos Estados Unidos, segundo a reportagem, é sobre o envio de medicamento.

Consultada, a Agência estadunidense para o Desenvolvimento Internacional, o principal fornecedor da ajuda, não listou medicamentos entre suas doações.

Um alto funcionário da oposição na ponte naquele dia disse ao The New York Times que o carregamento queimado continha suprimentos médicos, como máscaras e luvas, mas não remédios. Videoclipes analisados ​​pela reportagem mostra que algumas das caixas continham kits de higiene, com suprimentos como sabão e pasta de dente.

Mudança de discurso
Depois de serem contatados pela reportagem com essas alegações, as autoridades americanas divulgaram uma declaração descrevendo como o incêndio começou de maneira mais cautelosa.

“Relatos de testemunhas oculares indicam que o incêndio começou quando as forças de Maduro bloquearam violentamente a entrada de assistência humanitária”, disse o comunicado, sem especificar que teriam sido as forças de Maduro que atearam fogo.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum