Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
11 de novembro de 2019, 08h11

OEA e Luis Almagro ficam em vergonhoso silêncio diante do golpe violento na Bolívia

Fernando Haddad lembrou pelo twitter que a entidade foi cúmplice do golpe de Estado contra Evo Morales. "A OEA abriu caminho para o golpe na Bolívia. Podia se manifestar sobre o que acha dos últimos acontecimentos"

Ernesto Araújo e Luis Almagro (Divulgação/Itamaraty)

Se é verdade o que diz o ditado, de que “quem cala consente”, é possível entender a posição da Organização dos Estados Americanos (OEA), entidade que deveria defender a democracia e o Estado de direito em todos os países das três Américas, mas que, curiosamente, não expressou nenhuma posição oficial nas últimas 24 horas, ignorando completamente o golpe de Estado posto em marcha desde a manhã de domingo (10) na Bolívia.

A última publicação da conta oficial da OEA no twitter foi a divulgação “preliminar” (ou seja, antes de o estudo estar concluído) de um parecer sobre as eleições, que diz que o processo “poderia ter sido fraudado”, documento que está sendo usado pelos golpistas para justificar suas ações. Aliás, a publicação foi um retuíte de mensagem do seu presidente, Luis Almagro, com o documento em anexo:

Porém, não há nenhuma palavra da entidade a respeito dos ataques agressivos a opositores, incluindo incêndios a sedes de entidades indígenas (e também à casa de uma irmã de Evo Morales), além da prisão sumária de ex-membros do Tribunal Supremo Eleitoral. E isso se falamos da conta oficial da OEA em espanhol. A conta oficial em português não publica nada desde o dia 7 de novembro e a em inglês desde o dia 8.

Quem também se mantém em lamentável silêncio é o presidente do órgão, o diplomata uruguaio Luis Almagro. Sua única publicação a respeito do caso foi feita quando começou a movimentação golpista, quando fez um mero apelo protocolar: “queremos registrar e reiterar nosso apelo por soluções constitucionais, cívicas e pacíficas na Bolívia”. Também republicou a mensagem oficial da OEA com o resultado do tal “parecer preliminar”.

Porém, nenhuma palavra dele desde que as Forças Armadas obrigaram o presidente Evo Morales a renunciar e depois fez o mesmo com o vice-presidente Álvaro García Linera, a presidenta do Senado Adriana Salvatierra e muitas outras autoridades legítimas do país.

Tal silêncio vergonhoso foi cobrado pelo líder petista e ex-candidato presidencial brasileiro Fernando Haddad, que aproveitou de lembrar, através do seu twitter, que a entidade foi cúmplice do golpe de Estado, graças ao “parecer preliminar”.

“A OEA abriu caminho para o golpe na Bolívia. Podia se manifestar sobre o que acha dos últimos acontecimentos”, declarou Haddad após a derrubada de Evo Morales.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum